Enem tem 32% de abstenção e uma questão anulada

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi aplicado em todo o território nacional, na tarde deste domingo (12), no seu segundo e último dia de provas, desta vez avaliando os estudantes em questões de matemática e ciências da natureza. Dos mais de 3,9 milhões de pessoas inscritas no Enem 2023, 32% (1,2 milhão) não compareceram à prova. Em Pernambuco, foram 218.868 inscrições no exame. A ansiedade dos alunos agora é pelo gabarito oficial, que será divulgado nesta terça-feira (14). O resultado final, entretanto, será publicado pelo Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em 16 de janeiro, na página do participante.

No segundo dia da prova, foram eliminados 2.217 candidados por algum problema na aplicação. Segundo o ministro da Educação, Camilo Santana (PT), o Inep identificou que mais uma vez a prova teve imagem vazada, a partir das 17h. “Acionamos a Polícia Federal, que já está em diligência para verificar de onde partiu essa divulgação. Além disso, a PF já fez a oitiva de oito pessoas suspeitas de envolvimento com o vazamento de imagens da prova do primeiro dia”, enfatizou Camilo.

Ainda de acordo com o ministro, uma das questões de matemática do Enem, aplicada ontem, será anulada por falta de ineditismo. A questão eliminada tem como tema a gripe H1N1 e já havia sido usada no teste de 2010. “Esta questão estará anulada, sem prejuízo a todos que fizeram a prova do Enem”, declarou Santana em coletiva.

Para evitar a repetição de outras questões no futuro, o Ministério da Educação prepara uma atualização do banco de itens, segundo informou o presidente do Inep, Manuel Palacios. “Há uma decisão de lançar um novo edital de professores independentes para elaboração de questões do Enem”, garantiu.

Uma outra questão semelhante na edição deste ano, no entanto, será mantida. Ela fazia parte do vestibular de 2003 da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e abordava a forma de contar de um determinado povo indígena. “É um item que trabalha com uma habilidade examinada em diferentes testes. As semelhanças que existem são semelhanças do tipo de problema que é proposto ao estudante”, explicou Palacios.

Fechado para comentários

Veja também

Coluna Literária do Domingo

Há dor que mata a pessoa Sem dó nem piedade. Porém, não há dor que doa Como a dor de uma s…