Empresário Ricardo Brennand morre aos 92 anos, vítima do coronavírus

O engenheiro e empresário Ricardo Coimbra de Almeida Brennand, 92 anos, morreu na madrugada deste sábado (25), vítima de coronavírus. A morte do pernambucano foi confirmada pelo Real Hospital Português em Recife, onde estava internado desde o último dia 19.

Fundador do Instituto Ricardo Brennand (IRB), uma sociedade sem fins lucrativos em Recife, o empresário conseguiu agregar no espaço a maior coleção mundial do pintor holandês Frans Post, primeiro paisagista das Américas e primeiro pintor da paisagem brasileira.  Brennand também construiu no IRB   um dos maiores acervos de armas brancas do mundo, com mais de 3 mil peças, entre elas 27 armaduras medievais completas. Em 2017, o IRB foi eleito como o melhor museu da América do Sul pelo site mundial de viagens TripAdvisor.
Além desta atividade, Ricardo também se dedicou ao ramo industrial de cimento, aço, vidro, porcelana e açúcar, entre outros negócios da família Brennand – descentes de imigrantes ingleses que vieram para o Nordeste no século 19. Como hobby, ele passou a colecionar armas, adquirindo-as durante viagens na Europa ou na Ásia. Em 1990, vende suas ações e utiliza parte dos recursos para fundar o Instituto. Com ele, criou no Recife um polo turístico de reconhecimento internacional. (Informações Diário de Pernambuco)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Levantamento do TCE mostra falta de transparência na vacinação da covid-19 em Pernambuco

O Tribunal de Contas realizou um levantamento para saber como anda a transparência da vaci…