Em Petrolina (PE), trabalhadores em educação fazem protesto cobrando vacinação para a categoria ao Governo do Estado

Os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino, representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) e sua base, realizaram, na manhã desta quinta-feira (20), em frente à Gerência Regional de Educação Sertão do Médio São Francisco (GRE), em Petrolina (PE), um ato cobrando a vacinação da categoria ao Governo do Estado. O Protesto, que respeitou todos os protocolos sanitários da covid-19, faz parte do calendário de atividades #GrevePelaVida deflagrada no mês passado, no dia 19 de abril, em defesa da vida, da saúde e contrária ao retorno das atividades e aulas presenciais neste momento da pandemia.

A comissão de negociação dos trabalhadores se reuniu com a gerente da GRE, Anete Ferraz, a coordenadora geral da Gestão da Rede, Gorete Araújo, e a coordenadora geral de Administração e Finanças, Maria do Socorro, onde puderam expor a realidade encontrada nas escolas, principalmente, na zona rural de Petrolina, que não estão conseguindo garantir o cumprimento dos protocolos sanitários, e ainda a dificuldade da escola Santa Maria da Boa Vista, em Lago Grande, onde apenas uma funcionária realiza a higienização de todas as salas em todos os turnos de funcionamento.

Para o coordenador Regional do Sintepe de Petrolina, Robson Nascimento, teve um aumento no número de trabalhadores em educação infectados pelo novo coronavírus por conta das aulas presenciais nas escolas. “Em algumas unidades escolares, os estudantes contam que ficam de máscara apenas durante as aulas, mas fora da unidade retiram e ficam conversando e tendo contato com os outros colegas. É uma situação que foge do controle dos gestores e também dos professores.”, explicou.

A coordenadora do Sindicato, Cristina Costa, fez questão de lembrar que o único meio de garantir a volta as aula é vacinando a categoria. “A nossa luta é pela vida, pois na realidade a gente percebe que os protocolos não estão sendo seguidos e isso é um risco para todos, professores, gestores, estudantes, pais, técnicos, etc. Portanto, a nossa reivindicação é que os trabalhadores em educação sejam incluídos no grupo prioritário e sejam vacinados.”

A gerente Anete Ferraz, que recebeu a comissão, anotou as demandas apresentadas pelo grupo e garantiu que todas serão encaminhadas para Secretária de Educação do Estado e que também se compromete em acompanhar os casos pontuados na reunião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Juazeiro (BA): Instituto de Previdência lança campanha alertando sobre violência financeira contra idosos

Idosos que não têm acesso aos seus cartões bancários ou são forçados a fazer empréstimos p…