Em nota, alunos das instituições privadas de ensino superior de Petrolina (PE) reforçam carreata neste sábado (11)

0

Em nota, alunos das instituições privadas de ensino superior de Petrolina (PE) e Facape, reforçam a convocação para a carreata que ocorrerá neste sábado (11), às 14h, em prol da diminuição das mensalidades. Confira:

Em tempos de pandemia, o que se espera das pessoas é empatia e solidariedade. No entanto, não é o que percebemos por parte das IES particulares e Autarquia Educacional do Vale do São Francisco. Estas instituições têm, todos os meses, lesado os seus alunos através das mensalidades. Não estamos cobrando delas nada que não seja direito nosso, nenhuma vantagem ou benefício, só queremos que façam o que é justo para com os responsáveis por manter o funcionamento dessas faculdades e universidades na cidade.

Portanto, convidamos todos os alunos de Petrolina e Juazeiro para lutar e juntos faremos uma carreata neste sábado, 11 de julho, para manifestarmos a nossa indignação e nosso repúdio aos atos das faculdades, além de cobrar do Ministério Público de Pernambuco, celeridade e atenção, bem como à câmara de vereadores de Petrolina e ao prefeito Miguel Coelho por atenção aos alunos da Facape.

Nós, alunos, contratamos o serviço de aula presencial, no entanto, estamos recebendo aulas EAD ou remotas, que às vezes são prestadas sem qualidade alguma a nós.

Durante este período, muitos alunos e familiares perderam o emprego, tiveram seus contratos de prestação de serviço suspensos, redução da renda ou a perda delas e tornaram-se incapazes de pagar o valor integral das mensalidades, por outro lado, algumas destas instituições fizeram reajustes no valor das suas matrículas e/ou mensalidades, mesmo reduzindo o quadro de funcionários e suspendendo contratos, cobrando um valor ainda maior dos estudantes, que já não tinham plena capacidade de pagar pelo serviço durante a pandemia, agora, ainda menos.

Repudiamos a fala do Presidente da FACAPE, o senhor Antônio Habib: “O desconto deveria ser zero porque no momento que em nós temos uma alta de inadimplência, como este momento que nós estamos tendo, nós tivemos um aumento aí de quase 100% em termos de inadimplência, comparado com o ano passado, a inadimplência média do ano passado giraria em torno de 30%, esse período agora nós estamos na casa de 60%. Então, como você dá desconto para uma receita que teria sua redução absurdamente menor e que você não consegue honrar com seus compromissos, mas preocupados com todo esse contexto e com as dificuldades dos estudantes, nós tomamos esta decisão de, ainda assim, repassar para as mensalidades a redução com o percentual obtido com as reduções de energia elétrica e contratos”. Enquanto a Unit diz não ter havido modificação na continuidade e que não há nada de novo e investiu em uso de novas plataformas, qualificação e investimento em tecnologia, plataformas que são grátis e desenvolvidas por outras empresas. Já a UniNassau e UNIP preferiram se omitir e não se pronunciar.

Chamamos todos os estudantes, toda a população que queira integrar este movimento, venham e abracem esta causa! Nós não lutamos pelo benefício de alguns, lutamos pela justiça e direito a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Dor de cabeça é tema de simpósio promovido por Liga Acadêmica da Univasf

A Liga Acadêmica Multidisciplinar para Estudo da Dor (Lamed), da Universidade Federal do V…