Diretor da Rodando Legal vai à Câmara de Petrolina se defender de críticas e prestar esclarecimentos sobre serviço

0

A Câmara de Vereadores de Petrolina contou nesta quinta-feira, 26, com a participação de Carlos Logulo, Diretor Comercial na Rodando Legal, empresa que presta serviço à Prefeitura na questão da fiscalização do trânsito. Logulo solicitou o uso da tribuna livre da Casa para prestar esclarecimentos sobre o serviço.

Diante de um debate sobre as taxas cobradas e o serviço da empresa, Carlos Logulo chegou explicando. “A empresa tem uma participação nas diárias de taxas de carros, motos e caminhão. A questão dos valores das taxas não foi definida pela empresa. Foram preços já estipulados dentro do edital de licitação”, explicou o diretor.

Carlos explicou que a mudança do valor que antes da licitação seria de pouco mais de R$ 2,00 e depois passou a ser mais de R$ 30,00, veio após a Ammpla (Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina) realizar uma pesquisa de mercado, tirando uma média para estipular o valor.

“A Ammpla fez uma pesquisa de mercado e tirou a média para estipular o valor e colocar na licitação. Antes, o valor cobrado não cobria as despesas com este serviço”, declarou o diretor da Rodando Legal.

Logulo revela que presta serviço na área de guincho e reboque em Pernambuco não só em Petrolina, mas também em Serra Talhada, Caruaru, Salgueiro e Garanhuns. “Eu presto um serviço, não tenho como misturar isso que faço com formalizações políticas. Tenho mais de 10 anos atuando neste segmento e estou pronto para sempre que precisar vir aqui prestar todos os esclarecimentos”, considerou Carlos Logulo que presta serviço também para a Polícia Rodoviária e em outros estados do Nordeste.

Sobre ter recebido algum comunicado da Procurador do Município para esclarecer duvidas colocadas pelos vereadores sobre o serviço prestado pela Rodando Legal, o gestor disse que até agora só chegou a ele um ofício do vereador Aero Cruz (PSB).

“Não recebi oficio sobre valores das taxas e sim sobre o leilão que veio do vereador Aero Cruz. E do setor jurídico da Prefeitura, não recebi”. Logulo frisa que a questão da fiscalização de trânsito ainda é vista por muitos como incomodo, mas que é necessária.

“Somos ainda um País que mais mata no trânsito. São 40 mil mortes no ano  em média. Portanto, nós vivemos num pais onde carro é um bem e na Constituição ela diz que você tem que ter comida, emprego e moradia. Carro, veiculo é um bem supérfluo. Logo se você quer ter um carro, tem que obedecer a legislação, além de está sujeitos a pagar impostos e taxas

Pizza

Vereador que chegou a chamar a Rodando Legal de “Roubando Legal”, Gilberto Melo (PSL) não gostou nada da presença do executivo sem ser na audiência pública já aprovada na Casa. Para ele na forma de tribuna livre, o  debate que tem que ser maia amplo, fica carente de maiores esclarecimentos.

“Minha opinião seria convocar para a audiência publica, debater melhor essa questão. Passei a chamar a empresa da Roubando Legal pelo abuso no valor das taxas. Eu acho que estão lesando as pessoas. Precisamos resolver isso, mas da forma que ele veio não me satisfaz. Seria que isso vai virar em pizza? Ele deve voltar com tempo para ouvir todos que estão envolvidos nessa questão da Rodando Legal na audiência pública já aprovada, comentou Melo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Eleições 2020: Envio de propaganda eleitoral por WhatsApp terá restrições e casos podem gerar multa

A regulação de campanha eleitoral na internet também permite o envio de propagandas por ap…