DCH3 da Uneb repudia agressão a estudante durante Carnaval de Juazeiro

2

O Departamento de Ciências Humanas da UNEB, Campus de Juazeiro, emitiu uma nota nesta segunda-feira (29), onde repudia a abordagem violenta sofrida por uma aluna do curso de Direito dessa Universidade realizada pela Policia Militar, no circuito do Carnaval da cidade.

Confira: 

“A Direção do Departamento de Ciencias Humanas (DCH) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Juazeiro, vem a público denunciar a abordagem violenta sofrida por uma aluna do curso de Direito dessa Universidade realizada pela Polícia Militar, no circuito do Carnaval, durante a madrugada do último domingo (28). Segundo depoimento da aluna, ela recebeu um murro no rosto e no estômago, usaram cassetes e forçaram e ela desmaiou na avenida. Tudo isso porque questionou a forma violenta da abordagem sofrida por um grupo de amigos. Ainda enfatizou que os alvos foram as pessoas negras do grupo. Uma mulher jovem, estudante brutalmente agredida pelas forças do Estado.

Em 05 de maio de 2017 a UNEB sediou uma audiência pública, promovida pela Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa da Bahia e pelo Conselho de Promoção da Igualdade Racial de Juazeiro ( Compir) sobre abordagem policial, a qual ouviu vários depoimentos referentes a abordagens violentas. O resultado foi a elaboração de um documento encaminhado a todas as forças policiais, judiciais e universidades do município solicitando revisão desses procedimentos e colocando a UNEB a disposição para formações e debates. Sugeria ainda um pacto de conduta de todos os entes supracitados. Infelizmente nenhuma resposta foi enviada aos promotores do evento.

Assim, solicitamos do comando da corporação Polícia Militar e das demais autoridades competentes a imediata apuração e responsabilização do(s) envolvido(s) e a resposta ao documento referente a Audiência Pública realizada nesta Universidade. Acreditamos que essa questão deva ter um encaminhamento compartilhado e a punição dos agressores.”

Comunidade Acadêmica, Departamento de Ciências Humanas da UNEB, Campus de Juazeiro

2 Comentários

  1. Júlio Santos

    29 de janeiro de 2018 em 18:46

    Tenho certeza que ela apanhou em vão ; algo de errado ela fez agora querem defender porquê é estudante da Uneb a policial também deve ter estuda em alguma instituição de respeito assim como a referida universidade portanto tem direito de ser respeitada no cumprimento de suas funções

    Responder

    • fernando pereira

      30 de janeiro de 2018 em 02:22

      reforçando suas palavras,e com certeza essa lindinho quis tirar onde de advogada

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Aprovado projeto que altera nome da Avenida da Integração Ayrton Senna para Geraldo Coelho

Foi aprovado na Casa Plínio Amorim, o projeto de lei 100/19, que altera o nome da Avenida …