Cuidados são indispensáveis para que espécies da Caatinga possam contribuir na arborização de Petrolina

0

ipe

Quatro mil e quinhentas novas oportunidades para Petrolina ser arborizada: esse é o quantitativo de mudas de espécies nativas da Caatinga que foram doadas este ano, até o mês de Novembro, à população do município sertanejo, pela Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA). Se manejadas da forma adequada e não sofrerem ações de pragas e doenças, ou outras intempéries, serão milhares de plantas que a médio e longo prazo deixarão a cidade mais bonita e agradável. Distribuídas pelas casas, escolas, associações de moradores, praças e outros equipamentos públicos, estão espécies como Ipês, Caraibeiras, Mulungus, Pereiro, dentre outras típicas da rica flora da Caatinga e que são produzidas no Viveiro Municipal, situado na escola Miguel Arraes, no bairro Henrique Leite, zona norte da cidade.

“Este ano nós priorizamos muito a distribuição de mudas, com enfase nas que são típicas da Caatinga, porque acreditamos que é importante mostrar às pessoas como a flora de nosso ecossistema é rica e precisa de preservação e conservação. Também disponibilizamos de informações sobre solo, manejo, cuidados essenciais para que estas plantas que são doadas possam se desenvolver a contento”, destaca a gestora da AMMA, Denise Lima.

Até chegar à distribuição, as espécies passam por algumas etapas que vão desde a coleta das sementes até o manejo no Viveiro Municipal. Quando atingem uma altura mínima, as mudas estão prontas para serem doadas. Conseguir uma espécie desta é muito simples: basta solicitar junto ao órgão ambiental, pegar a autorização e retirar no Viveiro. Mas para que a planta consiga chegar à sua maturidade, alguns cuidados são indispensáveis.

“A depender do porte da espécie, é imprescindível escolher bem a área onde vai ser implantada, ter atenção com os espaçamentos. A dimensão da cova é de 0,60×0,60×0,60 m no mínimo. A muda tem que ficar centralizada e é importante estar atento com o processo de captação de água. À medida que a planta vai se desenvolvendo, realizar a poda de ramos supérfluos, doentes ou mortos. São ações relativamente simples e que vão garantir com que a planta cresça, oferecendo sombra e uma melhor qualidade de vida para a população”, destaca a graduanda em Agronomia e estagiária do setor de Licenciamento Ambiental da AMMA, Maria Eugênia Barbosa.

Uma das espécies doadas pela AMMA é o Ipê. Muito conhecido por sua floração colorida e presente em algumas áreas da cidade, a exemplo da Orla; o Ipê é uma árvore de grande porte, muito utilizado como espécie decorativa. Há pesquisas indicando o uso da casca do tronco para a produção de chás e expectorantes. É uma espécie propícia para recuperação de áreas degradadas.

“Uma das maiores demandas que chegam à AMMA diz respeito ao processo de arborização da cidade, e nesse interim, contamos com a parceria da população. Estamos produzindo as mudas, fazendo as doações e a gente espera que cada cidadão ao receber, faça a sua parte. Plante e cuide com carinho. Em um futuro mais próximo esperamos ver esta geração de árvores que certamente vai tornar melhor nossa qualidade de vida”, conclui Denise Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Leitor Repórter: lixo e troncos de árvores incomodam comerciante na Monsenhor Ângelo Sampaio, em Petrolina (PE).

Um rapaz entrou em contato com o blog para reclamar da quantidade de lixo acumulado na Ave…