Covid-19: Pernambuco autoriza 4ª dose para adolescentes imunossuprimidos

Pernambuco autorizou a aplicação de uma quarta dose da vacina contra Covid-19 em adolescentes imunossuprimidos. A recomendação abrange também gestantes e puérperas com alto grau de imunossupressão. Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) explicou que o novo direcionamento foi discutido e aprovado no “Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação, e passou por pactuação junto aos gestores municipais na Comissão Intergestores Bipartite (CIB)”.

Em 20 de dezembro, o Ministério da Saúde havia liberado a dose adicional para os adultos imunossuprimidos. E em 9 de fevereiro, a autorização foi estendida aos adolescentes de 12 a 17 anos. A liberação para essa faixa etária foi dada em Pernambuco nessa terça-feira (15).

Segundo a pasta federal, todos nessas condições podem receber a dose de reforço a partir de quatro meses após a última dose do esquema vacinal, ou seja, duas doses mais terceira dose. O intervalo vale para qualquer imunizante que a pessoa tenha recebido antes.

Para os adultos, a preferência de uso é para a vacina da Pfizer. Caso não haja disponibilidade, pode ser aplicada uma vacina de vetor viral, como a AstraZeneca ou a Janssen. Já para os adolescentes, a nota técnica da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) cita que é obrigatória a utilização da Pfizer.

4ª dose em Pernambuco

A adesão à quarta dose entre os adultos em Pernambuco até agora é baixa. Dados da SES-PE indicam que menos de 2 mil pessoas com 18 anos ou mais receberam a dose adicional.

Há, no Estado, segundo estimativas do IBGE, 58.150 adultos nessas condições. Desde que a quarta dose foi autorizada, apenas 1.853 receberam, o que corresponde a uma cobertura vacinal de 3,19%. No mesmo grupo, a cobertura da dose de reforço chega a 124,33%.

Já no grupo de adolescentes de 12 a 17 anos, a cobertura vacinal é de 70,47% na primeira dose e 47,47% na segunda dose.

Quem são os imunossuprimidos?

O Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO) considera como imunossuprimidos todas as pessoas com imunodeficiência primária grave, em quimioterapia para câncer ou transplantados (de órgão sólido ou de células tronco), que fazem uso de drogas imunossupressoras, além de pessoas vivendo com HIV/Aids.

Também fazem parte do grupo quem usa corticoides em doses iguais ou maiores que 20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por 14 dias ou mais, bem como quem usa drogas modificadoras da resposta imune , quem faz hemodiálise e quem tem doenças imunomediadas inflamatórias crônicas e doenças autoinflamatórias e intestinais inflamatórias.

Confira a nota completa da SES-PE:

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), por meio do Programa Estadual de Imunizações (PEI-PE), encaminhou nota técnica aos municípios do Estado com a atualização das recomendações para administração do esquema vacinal primário e aplicação de doses de reforço das vacinas contra a Covid-19 em pessoas imunocomprometidas. A nova recomendação foi discutida e aprovada no Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação, e passou por pactuação junto aos gestores municipais na Comissão Intergestores Bipartite (CIB).

Desta maneira, os adolescentes imunocomprometidos – incluindo gestantes e puérperas imunocomprometidas-, de 12 a 17 anos de idade, poderão receber três doses no esquema primário (duas doses e uma dose adicional ou dose 3) com intervalo de 2 meses, e uma dose de reforço que deverá ser administrada a partir de 4 meses do esquema primário, a terceira dose. Esse grupo deverá receber obrigatoriamente o imunizante Pfizer/BioNTech, se não disponível pode ser utilizado a vacina da CoronaVac/ Butantan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da varíola dos macacos no Brasil

O Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos m…