COP-21 termina nesta sexta-feira com fórum organizado por comissão do Congresso Nacional brasileiro

0

COP-21

Iniciada no último dia 30, a Conferência das Nações Unidas sobre o Clima (COP-21) termina nesta sexta-feira (11), em Paris, com uma atividade que deverá reunir a delegação de parlamentares brasileiros na capital francesa: o “Fórum de discussões sobre os resultados da COP-21”. O encontro é organizado pela Comissão Mista sobre Mudanças Climáticas (CMMC) do Congresso Nacional, presidida pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que, desde o último dia 4, participa do encontro mundial da ONU como um dos principais representantes do parlamento brasileiro.

À tarde, o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social (Ethos) promove o painel “A política brasileira de mudança climática pós-2020: desafios e oportunidades”. Nesta quinta-feira (10), a ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabella Teixeira, conduziu o “Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas”. A delegação brasileira também participou do painel “Perspectivas econômicas com os iNDCs (Contribuições Nacionalmente Determinadas)”.

Na avaliação do presidente da CMMC, as propostas do Brasil apresentadas durante a COP-21 conquistaram protagonismo e o interesse das mais de 190 nações que participam da Conferência. Ao elogiar a iNDC/Brasil, Fernando Bezerra Coelho analisou: “Foi o país que apresentou a melhor proposta do ponto de vista da redução de emissões (de gases que provocam o efeito estufa). E também é o grande exemplo; sobretudo, na redução do desmatamento da floresta amazônica”.

A proposta central da iNDC/Brasil para a COP-21 é que “o país, até o final deste século, envidará esforços para uma transição a sistemas de energia baseados em fontes renováveis e descarbonização da economia mundial, no contexto do desenvolvimento sustentável e do acesso aos meios financeiros e tecnológicos necessários para tal transição”. Entre as principais metas brasileiras, destacam-se o fim do desmatamento ilegal, o reflorestamento de 12 milhões de hectares de terra, a recuperação de 15 milhões de hectares de pastagens degradadas e a integração de cinco milhões de hectares, entre lavouras, pastagens e florestas.

Na área de energia – um dos pilares da CMMC – a iNDC/Brasil propõe que a participação das energias renováveis chegue, até o ano de 2030, a 23% da matriz energética brasileira, especialmente a solar, eólica e de biomassa, sem considerar a hidrelétrica. Fernando Bezerra defende que a participação das “energias limpas”, na matriz energética nacional, aumente para 25%, no referido ano (2030).

Confira, abaixo, a última agenda do senador na COP-21:

SEXTA-FEIRA: 11/12

ü Manhã: “Fórum de discussões sobre os resultados da COP-21”
· Organizado pela Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas (CMMC) do Congresso Nacional brasileiro, presidida pelo senador Fernando Bezerra Coelho

ü 13h15 – 14h45: “A política brasileira de mudança climática pós- 2020: desafios e oportunidades”
· Organizado por Brasil, Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social (Ethos)
· Local: Le Bouget – Auditório 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina (PE): Julio Lossio Filho descarta possibilidade de ser articulador da oposição na Câmara e afirma que esse papel é dos vereadores eleitos

Questionado se seria o articulador da oposição na Câmara Plínio Amorim, em Petrolina (PE),…