Chuvas fortes devem voltar a cair na Bahia a partir de domingo (19), alerta meteorologista

Cidades da Bahia podem voltar a ter chuvas fortes a partir de domingo, alerta a meteorologista Josélia Pegorim, do Climatempo. Onze pessoas já morreram e outras 267 ficaram feridas no estado em decorrência das tempestades neste fim de ano.

Além disso, 6.371 pessoas estão desabrigadas, outras 15.199 desalojadas por causa dos estragos causados pelos temporais no estado. No total, 220.297 pessoas foram atingidas pela chuva e 51 localidades decretaram situação de emergência. O local mais atingido foi justamente o Sul do estado.

De acordo com Pegorim, essa semana deve ser de sol e pancadas de chuvas. A partir de domingo, no entanto, as chuvas fortes e constantes devem retornar especialmente ao sul e centro-oeste do estado. O norte de Minas Gerais e o Espírito Santo também devem ser atingidos.

“A chuva com essa intensidade deve ficar frequente pelo menos até o Natal”, avisa.

A especialista do Climatempo afirma que esse volume de chuva nessa região do país é incomum, mas foi previsto pelos meteorologistas. Ele aconteceu em decorrência ao La Niña. O fenômeno aquece as águas do oceano Pacífico entre a Austrália e a América do Sul e, com isso, muda o padrão de circulação de ventos no Brasil, alterando também o regime de chuvas — aumentando as precipitações no Nordeste e diminuindo no Centro-Sul do país.

“Passamos esses primeiros dez dias com uma configuração de ventos que forçou uma concentração grande de umidade em cima da Bahia. Tivemos uma combinação de circulação de ventos em diversos níveis da atmosfera que facilitaram uma grande formação de nuvens carregadas em diversas áreas do estado por vários dias consecutivos, mas de todo o estado, o sul foi a região que teve a maior quantidade de ventos dessas chuvas volumosas”, analisa.

Na região de Salvador, por exemplo, é possível observar uma situação incomum para o mês de dezembro: apesar de tradicionalmente essa ser uma época de pouca chuva na cidade, dados do Instituto Nacional de Meteorologia mostram que, em 14 dias, o município registrou 176mm de precipitação. Essa quantidade corresponde ao triplo da média histórica, de 58mm. Além disso, desde 2014 não chove tanto em Salvador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina (PE): Moradores pedem solução para falta de iluminação pública no Portal da Cidade

A falta de manutenção na iluminação pública tem deixado os moradores da rua do Piano, no b…