Católicos e ortodoxos podem reunificar a data da Páscoa e torná-la “fixa” em 2025; entenda

Entra ano, sai ano e fica a pergunta: quando caem os feriados móveis de carnaval, Páscoa e Corpus Christi? A resposta poderá mudar em 2025 com a fixação de uma data para a Páscoa, exatamente 1.700 anos após a criação da celebração da ressurreição de Jesus Cristo. Isso porque católicos e ortodoxos avaliam voltar a reunificar a data comemorativa.

“Tenhamos a coragem de acabar com esta divisão, que às vezes nos faz rir… ‘O seu Cristo ressuscita quando? E o seu Cristo, quando ressuscita?’ Não. O sinal é um só Cristo para todos nós”, disse o papa Francisco, em novembro de 2022, após receber no Vaticano o patriarca Mar Awa III, da Igreja Assíria do Oriente, a quem pediu “uma data comum para os cristãos celebrarem juntos a Páscoa”.

O líder dos cristãos ortodoxos orientais, patriarca Bartolomeu de Constantinopla, também se declarou favorável a fixar a data comum a partir de 2025, intenção compartilhada, ainda, pelo arcebispo ortodoxo Job Getcha de Telmessos. A mais longa defesa da mudança ocorreu em 2022, quando Bartolomeu I visitou Francisco.

“O Concílio Ecumênico de Niceia foi muito importante para fixar o conteúdo de nossa fé cristã, mas também para fixar a data da Páscoa, como e quando ela deve ser celebrada. Infelizmente, não a celebramos juntos há muitos anos, há muitos séculos. Portanto, no contexto deste aniversário, o objetivo de nossos esforços compartilhados com o papa é encontrar uma solução para isto”, disse o ortodoxo.

“Talvez agora não seja o momento de dar detalhes, mas quero enfatizar que tanto do lado ortodoxo como do católico há esta boa intenção de finalmente fixar uma data comum para a celebração da Ressurreição de Cristo. Esperemos alcançar um bom resultado desta vez.”

Bartolomeu se aproximou ainda mais de Francisco com o início da guerra entre Ucrânia e Rússia – até por dissociação, vale lembrar, os ucranianos passaram a festejar datas do ciclo natalino seguindo Roma e não mais Moscou.

Tanto a Igreja Anglicana como a Luterana manifestaram o seu interesse em resolver a questão e realizar uma celebração comum. O último obstáculo agora é o Patriarcado de Moscou, que pode, apesar de sua clara importância no Oriente, acabar isolado na discussão.

Fechado para comentários

Veja também

Em congresso da Amupe, prefeita Josimara Cavalcanti reforça luta dos municípios por mais autonomia e recursos

A prefeita de Dormentes, Josimara Cavalcanti (MDB), iniciou a semana no Recife participand…