Caso Beatriz: “isso não aconteceu”, afirma secretário sobre imagem divulgada por Lucinha Mota mostrando suposta conversa do assassino com uma freira

Ainda sobre a prisão de Marcelo da Silva, de 40 anos, acusado de ter matado a facada a garota Beatriz Angélica em Petrolina (PE), o Secretário de Defesa Social de Pernambuco, Humberto Freire contou que o homem entrou na escola para pedir dinheiro e, ao ver Beatriz, tentou contato com a criança. De acordo com Humberto Freire, a menina teria se assustado, fazendo com que Marcelo cometesse o crime em uma tentativa de silenciamento. A criança teria levado dez facadas ao invés de 42, como havia sido divulgado anteriormente.

Ainda segundo o gestor da pasta, Marcelo da Silva foi preso em 2017 por abuso sexual de vulnerável e também foi acusado de crime contra o patrimônio.
“O acusado foi preso ao menos três vezes. Uma delas por estupro de vulnerável, outra por crime de patrimônio e agora, com esse indiciamento, por homicídio. [Apesar disso] não há indícios de que tenha acontecido um crime sexual contra a vítima [Beatriz]”, afirmou Humberto Freire.
Ainda segundo o gestor da pasta, as imagens feitas pelas câmeras de segurança foram recuperadas e confirmaram a identidade de Marcelo.
“O suspeito é exatamente aquele que aparece nas imagens. Com relação às imagens estáticas que circulam em que aparenta uma conversa entre ele e um grupo de pessoas é preciso deixar claro que isso não aconteceu. Ele não conversou com essas pessoas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Lei Henry Borel é sancionada e torna hediondo o crime contra menor de 14 anos

Com punições duras aos agressores, foi sancionada sem vetos pelo presidente Jair Bolsonaro…