Bolsonaro nomeia Victor Godoy Veiga para comando interino do MEC

O secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Victor Godoy Veiga, passa a comandar interinamente, a partir desta quarta-feira (30), a pasta. Ele foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) após a saída de Milton Ribeiro, causada pela divulgação de um áudio que o liga a um esquema ilegal de repasse de verbas a cidades escolhidos por pastores sem função no ministério. A nomeação foi publicada na edição desta quarta do Diário Oficial da União.

Victor está presente na pasta desde julho de 2020, mesmo período em que o ex-ministro tomou posse no ministério. Um dos primeiros atos oficiais assinados por ele foi a exoneração de quatro assessores especiais do ex-ministro Abraham Weintraub, conhecidos pela forte orientação ideológica pela direita, assim como o ex-comandante da pasta.

Godoy é, de acordo com dados do site do MEC, graduado em engenharia de redes de comunicação de dados pela Universidade de Brasília (UnB), em 2003.

Ele tem duas pós-graduações em assuntos diferentes: Altos estudos em Defesa Nacional, pela Escola Superior de Guerra (ESG), e em Globalização, justiça e segurança humana pela Escola Superior do Ministério Público em parceria com instituições internacionais da Alemanha e da África do Sul.

Antes de ingressar no MEC, Godoy atuava como auditor federal na Controladoria-Geral da União (CGU), onde era servidor público desde 2004. No órgão, ele alcançou postos altos: foi chefe de divisão, coordenador-geral, diretor-substituto de auditoria e diretor de auditoria da área social e de acordos de leniência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Até o momento, não há notificação de casos suspeitos da varíola dos macacos no Brasil

O Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos m…