Bispos baianos entregam carta a Rui Costa manifestando preocupação com Réveillon e Carnaval

Os bispos das 23 Dioceses do Regional Nordeste 3 (Bahia e Sergipe) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), reunidos em Salvador entre os dias 16 a 18 de novembro, redigiram uma carta ao governador da Bahia, Rui Costa, apoiando as medidas de controle da pandemia da COVID 19 no Estado, tendo em vista uma possível realização das festas de final do ano e do carnaval de 2022.

A carta foi entregue ao governador, no Centro Administrativo da Bahia, durante à tarde desta quinta-feira (18), pelo presidente do Regional NE 3 da CNBB e bispo de Bom Jesus da Lapa, Dom João Santos Cardoso, acompanhado do Arcebispo de Feira de Santana, Dom Zanoni Demettino Castro e do Arcebispo de Vitória da Conquista, Dom Josafá Menezes da Silva.

Confira o texto na íntegra:

“Nós, bispos das vinte e três dioceses da Bahia, reunidos em Salvador, manifestamos a nossa preocupação com a possibilidade de flexibilização para se realizar as festas de final de ano e principalmente o carnaval de 2022, na forma como estas festas acontecem através de aglomerações massivas que podem causar um possível retorno de casos de COVID 19 e consequentes óbitos.

A Igreja Católica na Bahia, desde o início da pandemia tem tomado iniciativas em colaboração com os órgãos públicos do Estado e dos municípios, mesmo prejudicando trabalho pastoral de nossas comunidades.

O sofrimento de nosso povo tem sido muito grande pelo elevado número de pessoas que foram contaminadas e principalmente de óbitos entre jovens, adultos e idosos.

Queremos manifestar nosso apoio às medidas sanitárias baseadas em dados científicos que visem à preservação da vida e à contenção de possíveis novos casos. Uma medida lúcida, autorizada, responsável e corajosa por parte do governo do Estado poderá evitar o retorno da tragédia e suas terríveis consequências.

Iluminados pela palavra do Evangelho que diz: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” Jo 10,10), pedimos a intercessão de Santa Dulce dos Pobres e as bênçãos do Senhor do Bonfim”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Desequilíbrio ambiental já causou casos de coceira no Rio Grande do Sul

A equipe de especialistas e representantes da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) e da S…