Beneficiários do Auxílio Brasil podem pedir consignado a partir de hoje; veja regras

Está disponível a partir de hoje a contratação do empréstimo consignado vinculado ao Auxílio Brasil. O Ministério da Cidadania autorizou a Caixa Econômica Federal e outros 11 bancos a oferecerem a linha de crédito. O valor da parcela do empréstimo é descontado automaticamente do valor mensal do benefício para quem contratar o empréstimo.

A expectativa é que cerca de R$ 2.500 sejam emprestados por meio da modalidade a cada beneficiário. O valor máximo que poderá ser contratado será aquele em que as parcelas comprometam até 40% do valor mensal do benefício. Mas, em vez de ser considerado o valor mínimo atual do benefício de R$ 600, que só vigora até dezembro, valerá o de R$ 400. Assim, o valor da parcela será de no máximo R$ 160.

A taxa máxima de juros é de 3,5% ao mês, mas cada banco vai poder adotar a taxa que quiser, desde que seja menor que 3,5%. O empréstimo precisa ser contratado pelo responsável familiar, que é a pessoa da família que está inscrita no CadÚnico e que é a titular da conta poupança social da Caixa em que o Auxílio Brasil é depositado. Segundo a pasta, cada responsável familiar deve entrar em contato com os bancos autorizados para verificar qual a melhor proposta de empréstimo.

Em uma portaria com orientações sobre a modalidade de crédito, o ministério forneceu um modelo de questionário que deverá ser apresentado pela instituição financeira ao beneficiário no momento da contratação do empréstimo. Entre as perguntas estão se ficou claro o valor do empréstimo, a taxa de juros mensal, o valor total que vai pagar no fim do contrato e o prazo. E se ele já fez as contas para ver se conseguirá honrar esse compromisso com os outros gastos do dia a dia.

“O empréstimo consignado do Auxílio Brasil é uma opção que deve ser utilizada apenas nos casos em que você realmente tem um problema que não pode resolver sem fazer esta contratação. Verifique se alguém da sua família ou da sua comunidade pode te oferecer outra solução, onde você não precise pagar juros”, destaca um trecho do contrato.

De acordo com as regras, caso o benefício seja cancelado, o empréstimo continua valendo. Ou seja, mesmo se deixar de receber o Auxílio Brasil, o beneficiário precisa se organizar para pagar todos os meses o empréstimo até o final do prazo do contrato, depositando o valor da parcela em sua conta.

Tira-dúvidas Auxílio Brasil

Quem pode contratar o empréstimo?
Além das famílias que recebem o Auxílio Brasil e aquelas que já tinham acesso ao crédito consignado (trabalhadores com carteira assinada, servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS), os cidadãos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) também terão acesso ao crédito consignado.

Qual a taxa de juros?
A taxa máxima de juros é de 3,5% ao mês, mas cada banco vai poder adotar a taxa que quiser, desde que seja menor que esse percentual.

Em que bancos posso pedir o empréstimo do Auxílio Brasil?
Caixa Econômica Federal
Banco Agibank S/A
Banco Crefisa S/A
Banco Daycoval S/A
Banco Pan S/A
Banco Safra S/A
Capital Consig Sociedade de Crédito Direto S/A
Facta Financeira S/A Crédito, Financiamento e Investimento
Pintos S/A Créditos
QI Sociedade de Crédito Direto S/A
Valor Sociedade de Crédito Direto S/A
Zema Crédito, Financiamento e Investimento S/A

Qual o prazo máximo de pagamento?
De até 24 meses (dois anos). (com informações Correio Braziliense)

Fechado para comentários

Veja também

Envie a sua notícia e seja nosso repórter

Pelo WhatsApp do Blog Edenevaldo Alves, o leitor vira o nosso repórter. Para participar ba…