Áureo Cisneiros é demitido da Polícia Civil-PE: “É o primeiro governador de Pernambuco que demite servidor pelo exercício da atividade sindical”

O diário Oficial do Estado de Pernambuco, divulgou na terça-feira (05), a demissão do comissário de Polícia Civil Áureo Cisneiros Luna Filho.  O servidor era ex-presidente e atual diretor de comunicação e imprensa do sindicato dos policiais civis de Pernambuco (Simpol).

De acordo com  o ato,  a demissão considera o objeto do Mandado de Segurança, com fundamento  em Processo Administrativo Disciplinar   instaurado através da Portaria  em outubro de 2017.

Áureo Cisneiros se pronunciou pelas redes sociais e afirmou que o Governador Paulo Câmara o demitiu arbitrariamente por exercer atividade sindical.  “É o primeiro governador de Pernambuco, desde a redemocratização, que demite servidor pelo exercício da atividade sindical”, disparou.

Em 2016,  Cisneiros  liderou uma das maiores greves da história da Polícia Civil de Pernambuco, para reinvindicar a quantidade de delegacias   improvisadas no estado, viaturas sem gasolina, IMLs sucateados, coletes vencidos e salários defasados.  A categoria conseguiu o maior aumento salarial da história da organização e a realização de um concurso público para diminuir o déficit de policiais.

O sindical afirmou que vai  recorrer e  que  tomará todas as providências jurídicas .  “Lutei, enquanto sindicalista, pelos direitos dos policiais e por uma segurança pública cidadã. Não sou, não fui e não serei capacho desse necrogoverno”

O Sinpol emitiu nota sobre o caso:  Confira na íntegra abaixo:

“O SINPOL-PE vem a público repudiar veementemente os excessos que o Governo do Estado tem demostrado. Em um ato administrativo, julgaram pela demissão do companheiro Áureo Cisneiros da Instituição da Polícia Civil de Pernambuco, publicada no Diário Oficial do Estado de hoje, dia 05/01/2020. Em plena Pandemia mundial, crise econômica e moral nacional, e afastamento da presidência do Sindicato.

Queremos destacar que essa atitude só demonstra a perseguição política que o companheiro Áureo Cisneiros vem sofrendo há anos, pela sua atuação contundente enquanto sindicalista, sempre na defesa dos bens e direitos da nossa categoria e instituição, quando em sua gestão, conseguiu a maior conquista salarial da história da Polícia Civil em Pernambuco.

Desde o início de sua atuação sindical, o governo ameaçava criar punição e demissão de maneira muito sórdida, antidemocrática e anti-sindical, apresentando procedimentos administrativos para ocupar os servidores atuantes. Com abusos, inclusive prejudicando suas folgas, e sabendo que todos os processos que geraram contra Áureo se baseavam por sua atuação em defesa dos policiais civis e da sociedade civil.

O SINPOL-PE considera esse tipo de postura administrativa, um atentado contra toda a sociedade brasileira, classe trabalhadora em seu movimento sindical e associativo e a Polícia Civil de Pernambuco como órgão de Estado para busca da justiça e da verdade.

O SINPOL-PE ressalta que não se intimidará e tomará todas as medidas cabíveis na defesa dos direitos do Policial Civil, companheiro Áureo Cisneiros, oferecendo-lhe todo o suporte necessário. E busca da reparação urgente destes abusos e assédios.

Torcemos que os cidadãos conscientes, todos polícias municipais, estaduais e federais, penais, científicos e investigadores, as associações, Sindicatos, sociedade civil organizada, ONGs de transparência, OAB, MP e partidos políticos, devam se inteirar e posicionar contra essas aberrações administrativas que afrontam a estabilidade e autonomia do serviço público.

A dignidade da pessoa humana e a honra”.

da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Visando 2022, Miguel Coelho vai até Silvio Costa Filho

O encontro não foi tornado público, mas ocorreu em Brasília na última quarta-feira. O Pref…