Associação Petrolinense de Atletismo investe na iniciação de atletas

O Atletismo do Sertão é uma das 60 entidades sociais que integram os Centros de Formação de Atletismo, homologados pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), com patrocínio das Loterias Caixa. Ligado à Associação Petrolinense de Atletismo (APA), na cidade pernambucana de Petrolina, o projeto – qualificado com bronze – tem o objetivo de investir na iniciação e desenvolvimento de atletas em pleno sertão nordestino.

A APA é uma referência entre as equipes brasileiras, com 18 anos de atividades, dá exemplo de organização, excelência de governança e de boas práticas administrativas. Por isso, obteve a certificação da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania do Governo Federal e está autorizada a captar cerca de R$ 1,3 milhão em recursos incentivados, tanto para as escolinhas de atletismo inclusivo como para o trabalho com o esporte de rendimento no atletismo olímpico e paraolímpico.

De acordo com o diretor executivo da APA, Natanael Barros, o Centro de Formação tem sua base na pista de atletismo do SESI da cidade, reunindo atualmente 85 alunos de 7 a 13 anos em três polos: Núcleo de Irrigação N10, na zona rural de Petrolina; Distrito de Flamengo, na cidade de Jaguarari (BA); e o Núcleo de Ouricuri, outra cidade do sertão de Pernambuco. No rendimento, a equipe conta com 105 atletas e 45 paratletas.

Natanael lembra que a APA firmou recentemente uma parceria com o Instituto Federal do Sertão Pernambucano para implementar o trabalho de formação social de crianças e adolescentes pela prática esportiva. “A instituição aprovou a nossa proposta de usar a pista, as quadras e outros equipamentos dentro do Campus Petrolina. Agora vamos tentar captar os recursos necessários”, disse o diretor executivo.

A parceria com a IFSertão vem desde 2017, em forma de convênio de cooperação técnica. “Nós temos utilizado os ônibus do IFSertãoPE para transporte dos atletas e alguns alunos da instituição são atendidos pela gente, também já demos suporte em competições. Agora vamos tentar ampliar esse relacionamento”, comentou.

Desde que foi autorizada a captar recursos incentivados, a APA já conseguiu R$ 560 mil, verba aportada pela Bayer do Brasil. Além disso, obteve mais de R$ 50 mil por meio de doações no imposto de renda pessoa física e tem verba comprometida do Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) de R$ 360 mil, divididos em três parcelas para o ciclo olímpico, para a compra de equipamentos e implementos.

A APA ainda conta com o patrocínio da Prefeitura de Petrolina e da ARA Agrícola (apoio financeiro mensal), além de parcerias com o SESI (instalação esportiva), IFSertão (transporte), Hospital da Universidade Federal do Vale do São Francisco (apoio na assistência médica) e CONAP (responsável pela contabilidade fiscal e toda assessoria contábil da entidade).

Há cerca de um mês, durante a apresentação dos novos uniformes para a temporada 2022, a APA recebeu uma excelente notícia do prefeito Miguel Coelho (DEM). Ele assegurou o repasse de uma verba de R$ 3 milhões para a construção da primeira pista de atletismo do sertão pernambucano.

“Estive na apresentação e visitei o local onde a pista será construída. Fica a cerca de 1 km do aeroporto, a 4 km do centro da cidade, e ao lado de uma rodovia que vai de Petrolina para Bahia. Localização excelente. A construção receberá outra parte dos recursos da Secretaria Especial de Esporte do Ministério da Cidadania e esperamos que emendas parlamentares de senadores e deputados completem os valores necessários”, disse o presidente do Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Atletismo, Wlamir Motta Campos.

“Não tenho nenhuma dúvida que a pista será uma das mais importantes do País, um verdadeiro Farol de Alexandria. Além de Pernambuco, a instalação beneficiará diretamente a Bahia, Piauí e Ceará e poderá abrigar desde competições escolares e até eventualmente sul-americanas porque será de nível 2, segundo as regras da World Athletics”, completou Wlamir.

Petrolina é um oásis no sertão, com áreas irrigadas pelo São Francisco – chamada de ‘Califórnia’ brasileira por seu clima e a fruticultura. Fica a aproximadamente 12 horas de viagem de ônibus de Recife, 712 km de distância. “Além de uma viagem longa, há um custo enorme. Inviável em fazer, muitas vezes, em ônibus escolar. A pista será um divisor de águas no atletismo do País”, prosseguiu Wlamir. “Vi muitas crianças praticando atletismo, com um potencial absurdo, que faz jus ao slogan que vemos logo na entrada da cidade: ‘Bem-vindo a Petrolina, a terra dos impossíveis’.”

Quanto ao apoio aos Centros de Formação, como o de Petrolina, Wlamir Motta Campos ressalta a importância da iniciativa da CBAt, que tem recursos das Loterias Caixa. O objetivo é aumentar o número de praticantes, a base no Brasil, com estímulo a projetos sociais e de iniciação. “Hoje temos poucos atletas de alto rendimento porque temos poucos atletas começando”, observou. A CBAt também vai oferecer capacitação nas áreas técnicas e administrativas para os 60 ‘centrinhos’ qualificados. (ascom)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Concessão da Medalha de Honra ao Mérito Dom Malan será destinada à PRF em Petrolina (PE)

O Superintendente da Polícia Rodoviária Federal em Pernambuco, Antônio Vital de Moraes Jún…