Artigo do leitor: Bônus regional na UNIVASF: um bom começo

Nas últimas semanas, a discussão sobre a possibilidade adoção de bonificação na nota do ENEM pela UNIVASF foi bastante evidenciada, principalmente depois da retirada de pauta do tema, na última reunião extraordinária do Conselho Universitário (CONUNI), o que frustrou a expectativa dos milhares de estudantes da região e das centenas que acompanhavam ao vivo as discussões na reunião, pela TV Caatinga da UNIVASF.

Independente das razões apresentadas por alguns conselheiros para a retirada da pauta, acho que a discussão podia ter se iniciado naquela reunião mesmo, mesmo que ainda não fosse votada, até porque acredito que a discussão devia ser em função do relatório apresentado pelo Prof. Ricardo Duarte, designado relator da matéria no Conselho. O relatório, de 17 páginas, sintetiza as mais de 350 páginas do processo original, de maneira objetiva, para facilitar as discussões e encaminhamento. Os conselheiros teriam, então, mais subsídios para, ao retornarem às suas bases para definirem os votos, já levariam um conjunto de argumentos prós e contras, discutidos na instância máxima da UNIVASF.

O relatório está bastante objetivo e apresenta seu parecer favorável à implantação do bônus, inclusive avança em relação à proposta original da comissão formada para discutir o tema, que propôs bônus de 10% para os concorrentes ao curso de medicina no campus Paulo Afonso-BA e 5% para os concorrentes ao curso de medicina no campus Petrolina-PE.

O relator propôs a unificação do bônus 10% na nota para ambos os cursos. Também deixa claro o seu parecer favorável à expansão do bônus para todos os cursos da UNIVASF, como propôs o Prof. Manoel Messias, em e-mail interno da UNIVASF. Embora, neste caso, o relator fez a ressalva que essa implantação completa se daria somente após a avaliação do bônus implantado para medicina.
Acompanho desde o início do movimento regional intitulado Univasf com Bônus, que por meio das redes sociais, procurou mobilizar a sociedade para este tema e que agora vê seu desejo próximo da sua concretização. Acredito que a sua mobilização foi muito importante para chegarmos agora ao momento decisivo, onde o CONUNI dará sua palavra final sobre o tema, o que espero que seja na reunião ordinária desta sexta-feira, 26/11.

Internamente, louvo o trabalho da comissão designada para fazer o levantamento dos dados históricos, analisar as diversas condições e finalizar com um relatório consistente e abrangente, que apresenta todas as informações necessárias para essa importante decisão.
Por fim, como sertanejo, apoio o bônus, principalmente depois de perceber que muitas instituições federais e estaduais têm usado essa política como forma de assegurar uma maior oportunidade para as comunidades nas suas áreas de atuação. Continuar sem o bônus seria prejudicar ainda mais os nossos alunos sertanejos. Adotar o bônus, mesmo que inicialmente nos cursos de medicina, é um bom começo, mas estendê-lo desde já, seria ainda melhor.

Prof. Jorge Cavalcanti
Colegiado de Engenharia de Computação
UNIVASF – Campus Juazeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Pernambuco registra 450 novos casos e seis mortes por Covid-19 nas últimas 24h

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) registrou, nesta quarta-feira (8), s…