Após polêmica, Moção de Solidariedade ao 2º Biesp de Petrolina é retirada de pauta na Câmara de Vereadores

0

Uma manhã de terça-feira (26) marcada por polêmica na Casa Plínio Amorim. Assim podemos definir a continuidade do assunto envolvendo uma ação da Polícia Militar durante as festividades do Novembro Negro no bairro Rio Corrente, em Petrolina, no último domingo (25).

O caso foi debatido pelos parlamentares quando o vereador Elias Jardim colocou verbalmente uma moção de solidariedade ao comando do 2º Biesp de Petrolina, que assim como os participantes do ato, também segundo nota, teve um policial agredido apresentando algumas lesões.

O vereador Gilmar Santos usou a tribuna e voltou a reafirmar, como tinha dito em participação no Programa Edenevaldo Alves na Petrolina FM, que “o cenário parecia de guerra e que se fossem brancos numa festa na Orla de Petrolina, a abordagem teria sido de outra forma e não com violência”, e criticou Elias Jardim alegando que, se o vereador aprovasse a moção estaria colaborando com “o sangue de jovens que foi derramado” durante a confusão do último final de semana.

O vereador Ronaldo Cancão preferiu se abster e a vereadora Cristina Costa ressaltou que só poderia votar na moção, após a apuração dos fatos.

A petista também colocou, sendo aprovada pelos vereadores, moção de solidariedade por escrito aos participantes do evento Novembro Negro.

Diante de tantas discussões  e polêmica sobre o caso, a moção de solidariedade ao 2º Biesp foi retirada da pauta e será apreciada no mês dezembro com a presença de um representante do comando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Abaixo assinado pede cassação do mandato de Kannário; PMs assinam iniciativa

Um abaixo assassinado online que pede a cassação do mandato do deputado federal Igor Kanná…