Advogado José antônio Fonseca de Melo é candidato ao cargo de Desembargador do TJPE

1

José Melo

O advogado José antônio Fonseca de Melo é um dos candidatos ao cargo de Desembargador no Tribunal de Justiça do estado de Pernambuco através da vaga do Quinto Constitucional.

Com 39 anos de serviço prestado, sendo 34 voltados, exclusivamente, para a defesa dos menos favorecidos, José Melo Júnior destaca, entre os principais motivos para a sua candidatura, a representação dos advogados no Tribunal. “Fui convidado por alguns amigos a lançar minha candidatura. Essa vida pública que eu tenho me fez entender que sempre busquei justiça. O objetivo do advogado público, do defensor público, que trabalha visando a justiça, é que as pessoas tenham uma boa representação”, disse.

Para José Melo a justiça contribui para regulamentar o convívio social e só pode ser benéfica se for de forma justa. Caso eleito, ele se comprometerá  em representar de forma justa os advogados de Pernambuco.”Vou me comprometer a garantir as prerrogativas do advogado, como respeito; exigir e tratar o advogado do mesmo nível que um juiz ou promotor; garantir a boa convivência entre as partes envolvidas na discussão do direito; garantir o acesso ao advogado no tribunal, agindo de forma que não exclua ninguém”, pontuou o candidato.

“Somos todos agentes de justiça e estamos procurando trazer aquilo que é melhor para os advogados e para a sociedade como um todo. Vou me empenhar em fazer justiça, usar desse tempo que eu tenho, dessa experiencia de 34 anos em busca de justiça, para, no cargo de desembargador, continuar nesse mesmo rumo, não me afastando daquilo que é legal”, completou.

Quinto Constitucional

Previsto no Artigo 94 da Constituição da República Federativa do Brasil é um dispositivo que prevê que 1/5 (um quinto, ou seja, 20%) dos membros de determinados tribunais brasileiros seja composto por advogados em lugar de juízes de carreira. Para tanto, os candidatos integrantes precisam ter, no mínimo, dez anos de carreira (“exercício profissional” no caso dos advogados) e reputação ilibada, além de notório saber jurídico para os advogados.

A Ordem dos Advogados do Brasil formará uma lista sêxtupla, em consulta eleitoral democrática, para enviá-la ao Tribunal onde ocorreu a vaga de desembargador. Este tribunal, após votação interna para a formação de uma lista tríplice, a remete ao chefe do Poder Executivo, neste caso, por se tratar de um Tribunal Federal, a presidente da república.

A Eleição que vai compor a lista sêxtupla do Quinto Constitucional vai acontecer dia 26 de fevereiro. Os advogados em dias com a OAB poderão votar.

1 Comentário

  1. José Antônio Mello.

    27 de janeiro de 2016 em 13:21

    Perfeito Edenevaldo. Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina (PE): Idosa de 96 anos com fratura no fêmur aguarda cirurgia de urgência no Hospital Universitário

A idosa Ananda Simão de Lima, de 96 anos de idade, fraturou o fêmur na tarde de terça-feir…