Vice-prefeito de Bodocó-PE, denuncia ações irregulares do prefeito Danilo Rodrigues (PSB)

0

vice

O Vice-prefeito de Bodocó, Zé Jacó (PTB), denuncia o atual gestor municipal Danilo Rodrigues (PSB) por falta de pagamento do 1/3 de férias dos funcionários e outras suspeitas de irregularidades no município.

Em Bodocó, prefeito e vice não se entendem desde o início do mandato, quando em abril de 2013 o prefeito Danilo Rodrigues rompeu com o vice sem dar maiores explicações. Segundo Jacó, a única coisa que ele exigiu do prefeito Danilo Rodrigues foi o respeito ao cumprimento das promessas feitas em palanque de um novo Bodocó e uma pequena sala para que ele pudesse receber os amigos, principalmente da zona rural que iam a Bodocó para falar com o prefeito e que raramente o encontrava no seu gabinete.

Nos últimos meses, muita gente procurou o vice-prefeito para reclamar sobre alguns fatos que vem ocorrendo na cidade, um deles é a falta de pagamento aos funcionários prestadores de serviço, falta do pagamento do 1/3 de férias, atraso do pagamento do transporte escolar entre outros.

Em fevereiro deste ano, Jacó procurou o Sindicato dos professores para pedir informação sobre o valor da folha de pagamento e as verbas do FUNDEB. Na época, os professores da rede pública estavam em atraso por falta do pagamento e do abono de 1/3. O Sindicato não tinha maiores informação pra dar.

Como a gestão de Danilo Rodrigues continua sem reposta para os funcionários que tiraram férias no final do ano e não recebeu o 1/3, o vice-prefeito Zé Jacó, em abril deste ano, procurou o Ministério do Trabalho em Petrolina e deu entrada ao pedido de regularização e investigação de alguns indícios de irregularidades trabalhistas na gestão atual.

A legislação trabalhista assegura que todo empregado terá direito anualmente ao gozo de um período de férias, sem prejuízo da remuneração. O pagamento das férias, do adicional de 1/3 (um terço) constitucional deverá ser feito até dois dias antes do início do período de férias, o que não está acontecendo em Bodocó.

Jacó diz estar convicto do seu dever de vice-prefeito que para ele é de grande responsabilidade junto à sociedade. Por isso mesmo, tem um jeito diferente de fazer política. “Em vez de está de casa em casa pedindo voto ou apoio à futuras candidaturas e me engalfinhando com outros colegas políticos, eu faço diferente. Estou procurando a justiça para que possamos ter uma resposta de muita coisa errada que está acontecendo. Eu acho que essa é a hora das oposições se unir para defender Bodocó do regresso” pontua Zé Jacó.

Zé Jacó também deu entrada junto ao Banco do Brasil através de um ofício, pedindo os extratos do FUNDEB para analisar pra onde está indo as verbas que é para ser aplicada na educação. O Banco negou justificando que só um vereador, conselho municipal ou a justiça poderia requerer tal documento. Zé Jacó procurou Dário Brito que se propôs a unir-se em defesa da causa e também para não cometer injustiça com a atual gestão. Após receber os extratos o vereador Dário Brito resolveu recuar impossibilitando a investigação.

Zé Jacó está entrando com outros meios para obter o documento junto ao banco.

O vice-prefeito estar em conversa com o Ministério Pública pedindo uma investigação de fatos relevantes ocorridos na cidade também em outras áreas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Defensor público aposentado acusado de pedofilia em Bodocó é preso em Petrolina

De acordo com o repórter Evanilson Barbosa, um defensor público aposentado foi preso, nest…