Univasf envia nota sobre discursos de ódio e atos de violência registados nos últimos dias; confira na íntegra

1

O discurso do ódio e atos de violência não representam a identidade do povo brasileiro e põem em risco a ordem social e a consolidação de uma nação soberana, democrática e segura para todos os cidadãos. Diante de inúmeros casos de total desrespeito à vida humana, a Reitoria da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) vem a público expressar a preocupação da comunidade acadêmica face às recorrentes notícias de comportamentos agressivos que têm vitimado centenas de pessoas em todo o País, a exemplo dos recentes episódios de violência extrema que levou à morte o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa – Moa do Katendê, ocorrida no estado da Bahia, e a agressão física sofrida por outro cidadão, em frente à Universidade Federal do Paraná (UFPR), atos estes que embora praticados em momentos e lugares distintos e por pessoas diferentes têm as mesmas origens – a banalização da vida, a intolerância.

O discurso do ódio que se materializa em nosso País, ceifando centenas de vidas tem consequências gravíssimas para toda a sociedade. É urgente que o Estado conduza o processo eleitoral com tranquilidade e que os envolvidos neste processo atuem de forma ética e responsável. É fundamental o comprometimento de todas as pessoas e instituições com os princípios constitucionais e universais dos direitos humanos. É neste sentido que reafirmamos o nosso compromisso na defesa do Estado Democrático de Direito, arduamente reconstruído e consagrado na Constituição cidadã de 1988, que preconiza o direito à vida como fundamental e a educação como direito de todos.

A Univasf é uma universidade pública, laica e socialmente referenciada na democracia como um valor universal para seus órgãos deliberativos, para o acesso ao ensino superior de qualidade para todos. A educação é imprescindível na construção de um país justo, soberano e para o desenvolvimento de uma sociedade mais crítica, ciente de seus deveres e direitos e especialmente consciente do direito de exercer a sua cidadania.

Reitor Julianeli Tolentino de Lima | Vice-reitor Telio Nobre Leite.

1 Comentário

  1. Edilberto

    13 de outubro de 2018 em 20:05

    Concordo plenamente que o respeito é fundamental, o que me entristece é quando vemos alunos de Universidades com ‘nível superior’ o que se deduz um nível mais elevado que os demais, fazendo protestos pelados com palavras obscenas no corpo e ofensas a outras pessoas e, até fazendo necessidades fisiológicas em público. Quer dizer, quem deveria servir como exemplo para a sociedade passa uma mensagem medíocre do universitário. O que é mais frustrante, quando vemos isso, é saber que o dinheiro público que podia ser direcionado para saúde, educação e outros setores está sendo investido em pessoas que não contribuem em nada com o pais, com seus atos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

“Bolsonaro como presidente não é dono do Brasil, imagine Gabriel Menezes no PSL de Petrolina”, dispara Alvorlande Cruz

O Blog flagrou uma conversa entre Alvorlande Cruz e o vereador Gabriel Menezes, que mencio…