Polícia fará reconstituição de assassinato do médico Denirson Paes nesta sexta (14)

0

Acontece na manhã desta sexta-feira (14) mais uma etapa da investigação que tenta elucidar o assassinato do médico cardiologista Denirson Paes, de 54 anos, no final de maio, em um condomínio de luxo em Aldeia, na Região Metropolitana do Recife. A Polícia Civil de Pernambuco irá realizar, a partir das 8h, a reconstituição do crime com a presença de Danilo Paes, 23 anos, filho do médico, e a farmacêutica Jussara Rodrigues, 55 anos, esposa da vítima, que confessou ter cometido o crime sozinha, excluindo a participação do filho.

Jussara confessou ter entrado em luta corporal com o marido na manhã do dia 31 de maio, antes de asfixiá-lo com um “mata-leão”. Durante a briga, ela deu um chute que levou Denirson a bater com a cabeça no chão, o que teria ocasionado o traumatismo no crânio. Com o médico desacordado, ela disse que o esganou e depois trancou o corpo do marido no quiosque próximo à piscina, onde, à noite, o esquartejou, inclusive arrancando o órgão genital da vítima, que foi queimado. A confissão de Jussara foi divulgada com exclusividade pela Folha de Pernambuco na semana passada. A farmacêutica prestou depoimento no dia 3 de agosto à titular responsável pelo caso, delegada Carmem Lúcia, na Colônia Penal Feminina, no Recife.

De acordo com o advogado Alexandre de Oliveira, no depoimento, Jussara explicou que a briga começou por volta das 5h30 da sexta-feira, 31 de maio. “Ela estava com muita raiva porque viu fotos de momentos íntimos de Denirson com a amante. Ele não falava com Jussara havia pelo menos três meses e, ao tentar confrontá-lo, Denirson colocou os dedos nos ouvidos, se recusando a escutar.” A farmacêutica informou, ainda, que um homem identificado apenas como Uraquitan, funcionário do Hospital Barão de Lucena, onde Jussara trabalhava, teria quebrado a casinha de ferramentas de Denirson a pedido da dela. Ele prestou depoimento à delegada substituta, Euricelia Nogueira, quem conduzirá o procedimento desta sexta-feira.

Denirson e Jussara eram casados havia mais de 30 anos. Para a polícia, Jussara e o filho mais velho do casal, Danilo Paes, praticaram o crime juntos, o que foi negado por ela. “Falou que fez tudo sozinha. Matou e esquartejou. É um depoimento muito forte”, explicou o advogado Alexandre Oliveira. “Tudo o que ela fez foi por emoção, com base no descobrimento da amante”, explicou Alexandre.

O inquérito, apresentado no último dia 31 de agosto, apontou que Denirson foi esganado no quarto, depois levado para uma área próxima à cacimba da casa onde houve uma tentativa de queimar o corpo e, em seguida, foi esquartejado. O crânio da vítima também apresentou um afundamento do lado direito, assim como um deslocamento da mandíbula, porém a investigação não soube precisar se essas fraturas foram ocasionadas antes ou depois de o corpo ter sido jogado na cacimba junto com entulhos. (Folha PE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Final de semana deve ser ensolarado, segundo Climatempo

A previsão do tempo para essa semana é de sol com algumas nuvens e não chove em Petrolina.…