Padre sertanejo leva milhares de pessoas ao pátio Ana das Carrancas e faz homenagem ao radialista Carlos Augusto

1
[rev_slider alesandro]

Neste Sábado o Padre sertanejo Alessandro Campos reuniu um grande púbico no pátio de eventos Ana das Carrancas, BA 210, em uma promoção coordenada pelo Padre Erivan da Paróquia São Francisco de Assim, Bairro Jardim Amazonas. Milhares de pessoas cantaram os sucessos do padre. Com um público de cerca de dez mil e quinhentas pessoas, o religioso agradeceu a todos que estiveram presentes no local, e a comunidade de católica de Petrolina e região.

Caravanas do Sul e Sudeste e dos nove Estados do nordeste marcaram presença no show que levou emoção e alegria para os participantes.

salgueiroSocorro Barros veio na caravana de Salgueiro-PE, e diz que assim como o padre, é sertaneja.

“Eu estava com depressão e quando conheci o padre Alessandro, minha tristeza foi embora e acredito muita na mensagem que ele transmite”, ressaltou.

Maria Aucilania é da Paraíba e fã do Padre Alessandro e mencionou a sua emoção durante o show.

“Admiro ele por causa das musicas que transmitem fé e minha filhinha de 3 anos não sai da frente da TV e estouparaiba muito feliz hoje”. Comentou.

O Padre Erivan que tomou a frente da organização ficou muito contente com a presença do público, e “que a noite de sábado foi um momento espiritual e de devoção a Cristo com um jeito diferente de mostrar que amamos a Deus. Diante das dificuldades nós encontramos o apoio maior que é a força de Deus e tudo deu certo, esse show é um sinal da graça de Deus na vida do povo de Petrolina”. Afirmou.

O padre Alessandro disse que ficou muito feliz pela receptividade do público, e destacou a organização do Padre Erivan e toda a equipe da Paróquia São Francisco, no show Em alusão à construção do centro Pastoral da paróquia e reforma da catedral, e Falou da alegria de está em Petrolina pela primeira vez, e que sentiu o calor dos nordestinos.

“Desde o seminário eu ouvia falar em Petrolina e nunca imagina em conhecer a região dessa forma fazendo shows, o povo é muito receptivo e diferente das pessoas do Sul e Sudeste e quando somos contratados pela igreja o acolhimento é melhor, do que vim por prefeitura ou políticos. Os leigos são mais acolhedores”, afirmou.

Criticas por ser Padre Sertanejo

Padre Alessandro, nascido em Guaratinguetá/SP e criado em Moji das Cruzes/SP veio de uma família muito religiosa e cresceu ouvindo música sertaneja raiz.
“Minha família é mineira e desde pequeno ouço música caipira. Era muito comum minha família ir à missa aos domingos e depois se reunir em volta do fogão de lenha onde fazíamos uma roda de viola”.

Essa moda de padre cantor fazer sucesso começou nos anos 90 com o Padre Marcelo Rossi, o primeiro grande expoente da música religiosa católica no Brasil.

Desde então, outros freis e padres fazem grande sucesso e viraram celebridades do mundo da música. Os padres Zezinho, Fabio de Melo e Reginaldo Manzotti são outros campeões de vendas com seus cds e dvds, Mas desde 2011, outro nome surgiu com força neste meio. O padre Alessandro Campos, que entoa suas modas sertanejas religiosas e carrega grandes públicos aos seus shows.

Por onde passa o padre diz que desde os sete anos de idade sonhava em ser padre, ia à missa todos os dias. Foi quando sentiu o chamado e seguiu o sacerdócio. Ele relata que nunca se preocupou em ser cantor, queria apenas ser o padre que cantava e rezava, confessa o sacerdote que diz agradecer a Deus pela aceitação dos fiéis dessa nova forma de evangelizar.

Apesar de fazer shows por todas as partes do país, padre Alessandro não deixa de exercer o sacerdócio. Durante a semana, ele celebra missas em Moji das Cruzes e em Aparecida do Norte e exerce o ministério de padre liderando a reforma do Santuário de Santa Rita, em Moji das Cruzes. O Padre Alessandro disse que tem agenda apertada entre shows e trabalho em Aparecida, mas que se considera primeiro padre.

“Pra mim é o essencial, depois sou artista, cantor. Então não sou um artista padre, mas sou um padre artista de Jesus Cristo”.

Quando começou a pensar em ser artista, o padre revela que a maior preocupação era se as pessoas iriam criticar o seu trabalho, principalmente à igreja pela mistura de canções religiosas com músicas de artistas consagrados como milionário e José Rico, Renato Teixeira entre outros.

Para a surpresa do artista, às críticas ainda não ocuparam o seu cotidiano ou encontraram pessoas que falaram mal do seu trabalho e que tem encontrado muito incentivo.

“Será que a igreja vai aceitar isso? Um padre que calça botas e se veste bem apertado. Eu só sigo o que diz papa Francisco. Não dar mais para ficar como Ong’s, a igreja precisa sair dos muros, ir às ruas e é isso que eu faço. Eu não estou pregando nada contra a doutrina da igreja católica. Se nem Jesus agradou a todos, quem sou eu para agradar”, frisou o padre.

Homenagem durante o show ao Radialista Carlos Augusto

Durante o show Campos fez uma homenagem ao Vaqueiro e radialista Carlos Augusto, onde parou o show na metade para lembrar a missão de Augusto, enquanto vivo, mesmo sem o ter conhecido.

“Quando eu cheguei a Petrolina a primeira pessoa em que ouvi falar foi de Carlos Augusto, não o conheci, mas sei que ele levou a cultura nordestina a quem precisava, o sertanejo precisava de homens fortes como Carlos Augusto. Nós precisamos valorizar nomes de pessoas como Carlos Augusto, ele não morreu e permanecerá vivo entre esse povo querido, espero que as pessoas continuem com o trabalho dele”.

O padre concluiu o show concedendo uma benção especial a toda região do vale do são Francisco.

“O homem decepciona, mas Jesus Cristo jamais decepcionará, Deus abençoe a todos”.

1 Comentário

  1. hildete

    3 de maio de 2015 em 17:30

    boa noite! FOI MARAVILHOSO!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Petrolina sedia 2ª edição do Open Fight Muay Thai será

Com o objetivo de divulgar o Muay Thai no Vale do São Francisco e promover a arte marcial …