Oposição trabalha “anúncio coletivo” da chapa

1

A filição do deputado federal Fernando Filho ao DEM abriu, entre lideranças da oposição, a perspectiva de que ele “está no jogo” em relação à possibilidade de encabeçar uma chapa majoritária. “Há essa consideração sobre Fernando Filho”, pondera um dos integrantes do grupo Pernambuco Quer Mudar.

O debate sobre os nomes para concorrer ao Governo do Estado e ao Senado se amplia, porque há uma compreensão, observa outro membro desse conjunto em reserva, “de que o anúncio vai ser coletivo”.

Em outras palavras, a chapa só deve ser tornada pública quando estiver completa. E, assim, seu anúncio foi postergado. “O candidato a governador quer o jogo inteiro”, observa a mesma fonte. Leia-se: a lógica que prevalece, nas mais recentes conversas, é a de que a chapa deve ser “solidária” de forma que quem aceitar ser candidato a governador já o faça ciente da composição para o Senado e quem aceitar concorrer à Casa Alta já entenda, de antemão, a consistência do cabeça de chapa, assim como quem se dispuser a ser vice.

Há uma preocupação de que, nesse desenho, o conjunto “tem que ter tamanho”. Um dos componentes da oposição, resume: “Para um não ser escolhido para uma missão e, no meio do caminho, perceber que ficou para tapar um buraco”. A escolha dos senadores, então, deve ter peso equivalente a do postulante ao Palácio das Princesas. (Fogo Cruzado)

1 Comentário

  1. Luiz Lopes

    16 de abril de 2018 em 11:21

    Essa união de forças de oposição não vinga, é muito cobra criada para um time só.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

TSE manda retirar das redes vídeos sobre “kit gay”

O ministro Carlos Horbach, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou a remoção de s…