Mês de Novembro apresenta saldo positivo de chuvas desde 2013 na bacia do São Francisco

0

Pela primeira vez desde 2013, a pluviometria aponta que o mês de novembro foi considerado favorável na bacia do Rio São Francisco. A informação foi transmitida, durante reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA) em Brasília (DF) e transmitida por videoconferência para os estados banhados pelo Velho Chico. O cenário se tornou mais favorável devido, principalmente, ao registro de chuvas na região do Alto São Francisco, em Minas Gerais.

Diante desse cenário, o superintendente da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) de Sergipe e membro da Câmara Técnica de Articulação Institucional (CTAI) do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Ailton Rocha, sugeriu que a defluência mínima da hidrelétrica de Xingó, entre Alagoas e Sergipe, seja alterada do patamar atual, de 550 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 700 m³/s a partir de janeiro de 2019. O superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA, Joaquim Gondim, propôs discutir a pauta na primeira reunião da ANA em 2019, no dia 7 de janeiro.

A sugestão de Ailton Rocha surgiu a partir da informação referente à prorrogação da resolução que fixa a defluência em 550 m³/s em Sobradinho, na Bahia, e em Xingó, até 31 de março. “Havia um planejamento, de acordo com projeções do ONS [Operador Nacional do Sistema Elétrico] para liberar uma vazão de 600 m³/s a partir de janeiro em Xingó; 700 em fevereiro e 800 em março mas, diante dessa projeção animadora, proponho ampliar para o mínimo de 800 no início de 2019”, argumentou Rocha. “É uma proposta razoável, mas vamos discutir melhor em janeiro”, rebateu Gondim.

Ainda nesse quesito de vazões defluentes, a equipe da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) propôs reduzir a vazão no reservatório de Três Marias, na região mineira, de 150 para 100m³/s, mas a proposta não foi bem aceita pela Agência Nacional de Águas e ainda recebeu críticas do setor de navegação. Diante disso, o modelo praticado não deverá ser alterado.

Chuvas

Durante a reunião, a equipe do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) apresentou o estudo referente às precipitações na bacia do chamado rio da integração nacional. Durante os últimos 60 dias, a pluviometria aponta para o registro de 233,3 milímetros (mm). Somente no dia 1º de dezembro, as chuvas registraram uma precipitação de 17,7 mm.

A reunião da ANA acontece quinzenalmente e é transmitida por videoconferência. Dela, participam usuários, poder público, universidades, representantes dos governos estaduais e do Ministério Público, entre outros. O próximo encontro está marcado para o dia 17 de dezembro e depois disso, somente em janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

PF faz buscas em endereços de Kassab, investigado após delação da JBS

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta quarta-feira (19), oito mandados de busca e apree…