Em nota, direção estadual do PMDB repudia punição imposta a Jarbas Vasconcelos

1

A executiva estadual do PMDB divulgou nota de desagravo ao deputado federal Jarbas Vasconcelos e de repúdio à decisão da direção nacional do partido, de suspendê-lo – juntamente com mais outros cinco parlamentares – por 60 dias, por terem votado a favor do prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) na Câmara. Na nota, enviada ao blog pela assessoria do PMDB, com certo atraso, os peemedebistas pernambucanos dizem não aceitar que a cúpula peemedebista negue sua identidade e sua história e decida “patrulhar e coibir as posições dos seus parlamentares”, legitimados pelo voto popular.

Assinada por todos os titulares e vogais da executiva estadual, inclusive o presidente do partido, vice-governador Raul Henry, a nota lembra que o PMDB foi fundado como “uma ampla frente democrática em defesa da liberdade, da justiça social e dos interesses maiores do povo brasileiro”, e continua, afirmando que “foi com esse caráter que o PMDB cresceu e se consolidou” em todo o território nacional. “Em um país com a grande diversidade política como tem o Brasil, o PMDB sempre cultivou uma cultura democrática de convivência com suas divergências internas. Essa é a principal razão da sua força”, acrescenta, para em seguida classificar o deputado Jarbas Vasconcelos como uma “reserva moral” do partido e da vida pública do Brasil.

“Jarbas foi fundador do partido e sempre honrou suas melhores tradições. Ao votar pela autorização da investigação proposta pela Procuradoria Geral da República, o fez sem expressar qualquer pré-julgamento. Votou em sintonia com a sua consciência, com a sua história e com o sentimento da maioria da sociedade brasileira”, conclui a nota da estadual peemedebista. Além de Jarbas, foram suspensos das atividades partidárias os deputados Celso Pansera (RJ), Sérgio Zveiter (RJ), Veneziano Vital do Rego (PB), Vitor Valim (CE) e Laura Carneiro (RJ). Esta última, filha de um dos fundadores e principais líderes do MDB, o ex-senador Nelson Carneiro.

1 Comentário

  1. gileno de souza

    14 de agosto de 2017 em 19:47

    se preocupa nao 2018 esta logo ali o poder e do povo eo povo vai da uma resposta para essa quadrilha de ratos famintos por dinheiro.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Sindicato da Construção Civil de Petrolina elege nova diretoria na próxima quinta-feira

Profissionais da construção civil em Petrolina-PE irão às urnas na próxima quinta-feira, 2…