Comunidades rurais do sertão pernambucano pretendem amenizar efeitos da estiagem

0
tratores
Comunidades rurais de sete municípios do sertão pernambucano estão tentando melhorar suas praticas  agrícolas na tentativa de  superar os efeitos da estiagem prolongada. Elas passam a ter acesso a oito tratores, com um investimento de R$ 1,2 milhão do Orçamento Geral da União destinados à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) por emendas parlamentares.
O maquinário ficará sob responsabilidade da Associação dos Produtores Agropecuaristas de Petrolândia (Acamp) e das prefeituras de Serra Talhada, Petrolina, Afogados da Ingazeira, Pesqueira, Trindade, Arcoverde e Flores. “Agora os municípios poderão melhor atender à população, especialmente a das comunidades rurais difusas. Tenho confiança de que conseguiremos executar ainda mais ações como esta”, afirma o superintendente da Codevasf em Pernambuco, João Bosco Lacerda de Alencar.
O prefeito de Petrolina, Julio Lóssio, frisa que esta é uma ação que vai ajudar muito aos municípios. “Recebemos esse trator como muita satisfação, e tenho certeza que será de grande utilidade para todos”, disse.
Produtor rural do perímetro de Icó-Mandantes, em Petrolândia, o presidente da Acamp avalia que os agricultores da sua região ganharam um importante instrumento de ação para ajudar na atividade agrícola. “Nossa comunidade saberá utilizar muito bem esse trator. É uma grande aquisição para nós, que aguardávamos com ansiedade esse equipamento”,  afirma Manoel Elói  Vieira.
Outros 25 tratores com implementos deverão ser destinados, aos municípios pernambucanos selecionados para os projetos de recomposição e ampliação de áreas para cultura da palma forrageira, o Repalma, e de resgate da cultura da mandioca, o Reniva. O investimento é de aproximadamente R$ 2 milhões, recursos da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI).
“Municípios com vocação para as culturas da palma e da mandioca serão contemplados pela Codevasf por meio desses projetos”, explica o superintendente regional, João Bosco Lacerda.
O Reniva (Rede de Multiplicação e Transferência de Materiais Propagativos de Mandioca com Qualidade Genética e Fitossanitária) é desenvolvido em parceria com a Embrapa. O projeto busca fomentar a mandiocultura, incentivando a produção em larga escala e o cultivo das manivas-sementes para propagação da cultura. Inicialmente, o Reniva deve beneficiar diretamente cerca de 4.760 famílias nos estados de Bahia, Pernambuco, Maranhão, Piauí e Alagoas.
Além da distribuição de manivas aos agricultores familiares, o Projeto Reniva vai ampliar a área de plantio e fortalecer a cadeia produtiva da mandioca, por meio do apoio a produção, beneficiamento e comercialização dos produtos oriundos da mandioca, promovendo, assim, segurança alimentar.
Já o Repalma (Projeto de Desenvolvimento Sustentável da Palma Forrageira) tem como objetivo garantir a segurança alimentar do rebanho de ovinos e caprinos de agricultores familiares, sobretudo nos períodos de estiagem.
O projeto conta com recursos da ordem de R$ 40 milhões e beneficiará, ao todo, cerca de 2,4 mil famílias por meio da implantação de unidades de multiplicação de raquetes, produção de palma e fornecimento de tratores, implementos agrícolas.
Tanto o Reniva como o Repalma estão inseridos no eixo inclusão produtiva do Plano Brasil Sem Miséria e contam com recursos repassados à Codevasf pela Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional (SDR/MI).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também