Com a chegada do verão, Petrolina entra em alerta para os cuidados com o Aedes aegypti

0

Com a chegada do verão, é preciso redobrar os cuidados para eliminar os focos do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Como nessa época o clima fica mais quente e úmido, os ovos do mosquito se abrem com mais facilidade, aumentando a proliferação do inseto.

“Nesse período, com a água das chuvas, os ovos do mosquito podem eclodir em questão de horas. É por isso que a gente dá a recomendação de que a população tenha o cuidado com qualquer recipiente que possa acumular água”, destaca Aynoanne Barbosa, gerente do setor de Endemias.

Apesar de Petrolina ter registrado uma expressiva redução no número de arboviroses – cerca de 100%- e do trabalho de prevenção dos agentes de endemias ser diário, com a realização de inspeções e trabalhos preventivos, é necessário que a população também faça a sua parte.

Trabalho rotineiro

Para diminuir os números dos casos de arboviroses, a Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde implanta diversas ações, a exemplo do ‘Sexta sem Aedes’, onde cada sexta-feira um bairro é escolhido através do índice de infestação, e são realizadas orientações educativas, mutirões de limpeza, vedação de caixas d’água e coleta de pneus.

Além disso, a cada 15 dias, os agentes de endemias realizam varredura, monitoramento e eliminação de larvas em pontos de maior acúmulo de água, como borracharias, ferros velhos, sucatarias e cemitérios, chamados de ‘pontos estratégicos’. Em Petrolina, são 226.

Há ainda o trabalho de palestras educativas voltadas a população. “Iremos continuar o nosso trabalho na busca de uma diminuição ainda maior destas doenças que causam tantos males à comunidade, contando sempre com a parceria das pessoas para a eliminação dos focos do vetor”, finaliza a gerente de endemias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Nova metodologia incentiva boas práticas no uso dos recursos hídricos da bacia do São Francisco

A partir de 2019, usuários que fizerem uso racional dos recursos hídricos da bacia do rio …