CAPS de Juazeiro comemora Dia Nacional da Luta Antimanicomial

0

caps

Em alusão ao Dia de Luta Antimanicomial, celebrado em 18 de maio, a Secretaria de Saúde de Juazeiro, através da Rede Municipal de Saúde Mental, realizou na manhã desta sexta-feira (15), diversas atividades para comemorar a data na Praça Antonílio da França Cardoso.

O dia 18 de maio foi instituído há 22 anos como Dia Nacional da Luta Antimanicomial. A data foi escolhida para reivindicar a implantação de serviços de saúde mental em substituição aos hospitais psiquiátricos. De acordo com a gerente do CAPS, Cilene Duarte, esse dia defende a ampliação e o fortalecimento dos serviços públicos locais que atendem as pessoas com sofrimento psíquico e suas famílias.

Durante o evento foi realizado pintura, ginástica, brincadeiras, entrega de informativo sobre saúde mental, músicas e foi servido um delicioso lanche. Luzia Leite, paciente do CAPS II há sete anos, disse estar muito feliz com a atividade na praça. “Fizemos hoje uma atividade diferente, estou muito feliz. Gosto muito do CAPS e agradeço pelo carinho e cuidado que tem comigo”, declarou.

No CAPS II são feitos 400 atendimentos por mês na área da saúde mental e o CAPS AD realiza cerca de 300 atendimentos mensal, contribuindo para as melhorias de condições da Saúde e bem estar da comunidade.

Alberto Evangelista, morador da Pedra do Lord e paciente do CAPS II há muitos anos também compartilha da mesma opinião sobre o evento. “Achei tudo legal, já fizemos ginástica, cantamos, pintamos. Estou muito feliz por estar aqui. Agradeço a Deus e ao CAPS pelo apoio que vem me dando, minha saúde melhorou muito depois do tratamento”, afirmou.

O CAPS é uma peça fundamental no atendimento da população, realizando acompanhamento clínico e reinserindo socialmente essas pessoas através do acesso ao lazer, trabalho e fortalecimento dos laços familiares. A Rede é formada pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II), pelo Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) e o Centro de Apoio Psicossocial Infantil (CAPS i), que prestam assistência, respectivamente, aos usuários portadores de transtornos psíquicos graves e aos pacientes com problemas com o uso abusivo de álcool, drogas e transtornos mentais decorrentes de substâncias psicoativas.

Para o paciente do CAPS há três anos, Eduardo dos Santos, a melhor atividade do dia foi à pintura. “Achei muito legal. A minha preferida foi à pintura, escolhi desenhar a minha esposa. Só tenho a agradecer ao CAPS por toda atenção comigo e estou muito feliz com o tratamento”, concluiu.

Segundo a gerente de Saúde Mental do CAPS, Cilene Duarte, o objetivo do evento é mostrar à sociedade que as pessoas com transtornos mentais são cidadãos comuns. “O evento é importante para essa percepção, e a intenção é diminuir o preconceito. Todo ano realizamos essa comemoração, justamente para lembrar para sociedade em geral, que qualquer pessoa pode ter em alguma fase da vida certo problema mental, e geralmente isso não é visto, porque muitos deles são enxergados no ambiente de trabalho como alguém que dar problema, na escola como aluno problema, na família como filho problema. Essa perspectiva precisa mudar”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Resposta da SESAU de Juazeiro a denúncia do leitor no quadro “Aqui Cada Leitor Vira um Repórter”

Em reposta a denuncia da leitor em relação ao não pagamento da luz da Casa de Apoio, onde …