Até quando? Enfermeira diz sentir “ódio” por motoqueiros que perturbam o sossego na Avenida São Francisco em Petrolina

1

moto

Uma enfermeira leitora do blog, que não quis ter a foto divulgada, enviou um texto em desabafo, que pede providências às autoridades referentes à ação de motoqueiros que estão tirando o sono de moradores do Bairro Areia Branca.

Confira:

Venho através deste blog solicitar a atenção das autoridades, EPPTC, prefeitura, secretaria de meio ambiente e a quem for necessário, para disciplinar motoqueiros que se acham no direito de usar suas motos para fazer barulho. Eles acham que eu preciso ouvir o barulho da moto deles para me emocionar, mas o que eu sinto é muito ódio e repulsa.  Me chamo Adriana, sou enfermeira, tenho 36 anos e tenho uma filha de meses que conquistei com muita dificuldade. Como mãe solteira e de repouso não tenho ninguém para me defender e tenho medo de perseguição, por isso peço que alguém de forma legal tome uma atitude quanto a isso.

De quinta a sábado vem acontecendo esses barulhos, ontem depois da meia noite, um grupo de motoqueiros com suas motos gigantes e barulhentas aceleram muito em baixo do prédio que moro, os forros do meu apartamento vibraram muito a ponto que acordei no susto, meu bebe quase não dorme de tanto chorar assustado, é certo eu passar por isso? Já não bastam os bares e paredões que comumente passam fazendo barulho.

Cadê a polícia? Meu deus! Esse povo não tem família, não respeitam o sossego de ninguém?

Já não simpatizava com esse povo, agora piorou… Porque não vão fazer barulho na porta da casa deles para depois ter que ouvir reclamação dos seus vizinhos, porque não vão fazer barulho na porta do batalhão? Que ódio e que absurdo! Estou enviando cópia desse texto para quem eu achar necessário para que sejam tomadas atitudes, preciso do meu sossego e do meu bebê, esse povo que faz barulho não pode ficar impune, isso é meninice, coisa de quem nunca teve nada e que agora quer chamar a atenção.

Tinha um monte de motos paradas na frente do bar bafômetro aqui na avenida São Francisco, eles devem ter bebido também.  Por favor, façam essa reclamação chegar onde for necessário.  Eu já andei de moto sou habilitada e sei que tem leis quanto ao barulho. Fiz esse texto de madrugada, sem sono, cansada, e com muita raiva.

1 Comentário

  1. Rafael

    27 de Abril de 2015 em 14:13

    As autoridades devem proibir o uso dos populares e infernais “kadrons” que são colocados nos escapamentos das motocicletas! Aquilo é um atentado a audição humana, irrita qualquer ser humano!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Cerca de 13 milhões ainda vivem em pobreza extrema no Brasil, diz IBGE

O Brasil tinha em 2016 cerca de 13,4 milhões de pessoas vivendo em condição de pobreza ext…