Artigo do leitor – A grande batalha

0

osvaldo

A grande batalha para o semiárido foi sonhada por Epitácio Pessoa, Celso Furtado, Nilo Coelho, Rômulo Almeida, João Agripino e outros sacerdotes do Nordeste. A grande batalha precisa ser travada para acabar a crônica e enorme desigualdade regional no Brasil.

O Brasil não pode ser dividido em ricos e pobres. Isto é injusto. A injustiça deve ser combatida com luta. Assim dizia o filósofo indiano Mahatma Ghandi.

Esta batalha é de responsabilidade da União. O deserto de Sonora irrigado tornou ricos a Califórnia, a Arizona, o Noroeste do México. O Estado de Nebrasca ficou rico com a irrigação. Argentina, Peru, Chile, cuidaram de seus semiáridos e os fez prósperos. A China e a Índia irrigam centenas de milhares de hectares anualmente. O Brasil trata o seu semiárido com indiferença. O semiárido brasileiro tem potencial para a prosperidade. Tem solo, sol, água e recursos humanos. Tem demonstrado sucesso com a irrigação no Polo Petrolina/Juazeiro.

E mesmo assim a União dorme e não aceita o desafio de um país justo. Continua injustiçado com o cenário inaceitável de um país dividido entre ricos e pobres. Tem dinheiro para tudo: futebol, trem bala, corrupção. Só não tem dinheiro para os patrícios do Semiárido.

O governo da União precisa abraçar esta causa. Sem água nada cresce. A água está no Rio São Francisco, no Parnaíba, em poços nas bacias sedimentares, nos grandes açudes, muitas vezes ocioso por falta de obras complementares. No Piauí o homem sofre com a falta d’água estando sobre um mar de água subterrânea.

Na Califórnia, 50% da região é com água subterrânea. Na Espanha 1 milhão de hectares são irrigados com água do subsolo. Temos aqui aquíferos subterrâneos em todo o Semiárido.

Não há argumento para a inércia. Não há argumento para parar a irrigação. A União precisa acordar e abraçar a causa da irrigação no Semiárido.

 Oswaldo Coelho ex-Deputado Federal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Família petrolinense viaja para Brumadinho (MG) em busca de informações de inspetor de máquinas que está desaparecido

Cláudio Márcio dos Santos, de 46 anos está entre os desaparecidos da tragédia do rompiment…