Após missa de 7º dia, familiares de jovem que morreu afogado em Juazeiro desabafam: “isso se chama assassinato”

0

O corpo do jovem que morreu afogado no Rio São Francisco foi enterrado em Juazeiro (BA) e a missa de 7º dia aconteceu na noite desta quinta-feira (13) na paróquia Nossa Senhora de Fátima no Alto da Aliança, bairro onde o adolescente morava.

Ainda abalados, os familiares com camisas estampavam a imagem de Diogo Lira Ferreira, que no dia 07 de setembro estava com o primo e dois amigos em um caiaque alugado com capacidade para duas pessoas.

O primo da vítima relatou a reportagem do Blog Edenevaldo Alves, a mesma versão contada pelas testemunhas no local, de que um um funcionário da empresa mandou que eles descessem, saíssem e tirassem os coletes dizendo que voltassem nadando, mas Diogo não sabia nadar.

“Era um dia especial e os colegas o convenceram para tomar banho no rio, a verdade é que tiraram a vida dele. Eles voltaram da ilha do fogo e um funcionário pediu para que tirassem o colete e viessem nadando, ele nunca teve experiência no rio, isso se chama assassinato, eu ouvi o relato de quem observou tudo, ele foi tirado do caiaque”, contou John Bernardino Lira Lima Lira, primo da vítima.

A mãe de Diogo não tinha condições de conceder entrevista e ainda não consegue voltar para casa ao lembrar do filho, mas o pai do jovem, Adaílton Ferreira alega que o caso não foi uma fatalidade.

“Eles não deram assistência a minha família e no outro dia estavam trabalhando normalmente e ontem realizamos um protesto, mas ninguém da empresa estava trabalhando, a forma que fizeram tudo não se trata de uma fatalidade, o funcionário pediu para que meu filho pulasse do caiaque, isso me deixa mais chocado, o amigo dele ouviu tudo, agora vamos atrás de justiça”, afirmou Adaílton Ferreira Cordeiro, pai de Diogo.

A família decidiu processar a empresa até que o inquérito seja finalizado pela polícia civil de Juazeiro (BA)

A empresa Caiaques do Vales se manifestou da seguinte maneira:

A Caiaques do Vale lamenta o ocorrido, ao tempo em que se solidariza com a família da vítima do acidente ocorrido na sexta-feira (7) no Rio São Francisco. Lembramos ainda que todas as orientações sobre o uso correto dos caiaques alugados em nosso estabelecimento são passadas para todos os usuários, bem como os equipamentos de segurança obrigatórios. O caiaque alugado tinha capacidade para duas pessoas, mas ao retornarem da Ilha do Fogo, os dois tripulantes ofereceram carona a mais duas pessoas, e diante do alerta sobre o excesso de pessoas na embarcação, dois deles resolveram terminar o trajeto nadando, sendo que não um não teve resistência e veio a se afogar. Mais uma vez lamentamos o ocorrido e nos colocamos à disposição para qualquer esclarecimento”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Novo prazo para aderir ao Refis Rural vai até 31 de dezembro

Os produtores rurais têm até 31 de dezembro para aderir ao Programa de Regularização Tribu…