Alta do dólar anima produtores de manga e uvas da Região do Vale do São Francisco

0

uva

Se para uns a alta do dólar é um ponto negativo, para outros é motivo de comemoração. No Vale do São Francisco, região do nordeste brasileiro reconhecida internacionalmente pela qualidade da produção de frutas, produtores de uvas e mangas já conseguem fazer negócios mais lucrativos com a exportação para Estados Unidos e Europa.

De acordo com o supervisor técnico comercial da Nutriceler, Corifeu Buzetti, que atende produtores da região, o momento econômico é favorável aos agricultores que investem em qualidade de produção e fornecem os alimentospara países estrangeiros. “Hoje, com o alto preço do dólar, o produtor está conseguindo vender sua produção a um preço muito mais vantajoso do que há alguns meses atrás. Os investimentos em tecnologia de nutrição são fundamentais para garantir uma boa pós-colheita e frutos com padrão de exportação para os mercados europeu e norteamericano”, explica.

Ao mesmo tempo em que as frutas estão mais valiosas, os insumos agrícolas importados, também sofreram altas. Corifeu destaca que para aproveitar o bom momento da economia para os produtores, é preciso saber investir em nutrição eficiente. “A estratégia é escolher bem os produtos que vão entrar no manejo nutricional, levando em consideração sua real eficiência. Algumas frutas vão ter que aguentar a longa jornada que pode passar de 40 dias, entre transporte de navio e armazéns, até chegar à mesa do consumidor que está do outro lado do oceano. Por isso precisa-se investir em nutrição eficiente, para obtermos frutos com maior durabilidade”, diz o consultor agronômico.

Trio de sucesso

Corifeu revela que a nutrição equilibrada vai proporcionar frutos de melhor qualidade e com maior resistência. Segundo o consultor, a combinação dos elementos cálcio, boro e magnésio, é responsável pelo fortalecimento da estrutura celular dos frutos, conferindo maior durabilidade e boa aparência no pós-colheita. “É nesse momento que o produtor precisa ter a tecnologia como aliada. O fertilizantes Metalosate®, distribuídos no Brasil pela Nutriceler, cumprem bem o papel de fornecer essa nutrição via folha equilibrada, com nutrientes quelatados por aminoácidos”, ressalta Corifeu.

No caso da produção de uvas, o consultor destaca ainda que a aplicação dos nutrientes é normalmente realizada durante o período de divisão celular da fruta, que ocorre do pegamento até aproximadamente oito milímetros de calibre de baga, quando se define o potencial de resistência da fruta em pós-colheita. “Um exemplo é a baixamobilidade do cálcio, que é resolvida com a tecnologia Metalosate®. Por ser orgânico, Metalosate® Cálcio possibilita maior mobilidade das moléculas do nutriente via floema, auxiliando na distribuição de nutrientes das folhas para os frutos”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

“Aqui Cada Leitor Vira um Repórter”: “Parece um lixão!”, diz leitor sobre Cemitério Campo da Paz em Petrolina

Sacolas plásticas, embalagens de garrafas descartáveis, restos de velas, folhas, galhos de…