Aeroporto de Serra Talhada (PE) e os seus impasses

1

A poucos meses da sua inauguração, o Aeroporto de Serra Talhada se vê diante de um impasse. É que a empresa responsável pela sua administração, a Dix Empreendimentos, deixou o terminal alegando o não recebimento dos repasses devidos pelo Estado. O Governo terá, então, que lançar mais uma licitação para contratar uma nova gestora. E esta empresa precisará tocar as obras necessárias para a conclusão do terminal, que, enquanto isso, está sendo gerido pelo Departamento de Estradas e Rodagens (DER).

“Desde o início da operação no aeroporto, a Dix Empreendimentos não vem sendo remunerada pelos seus serviços conforme previsto em contrato. Reconhecemos o esforço do Governo do Estado em procurar solucionar os entraves burocráticos para viabilizar o cumprimento do referido contrato. No entanto, tendo em vista a necessidade de preservar a saúde financeira da empresa, a Dix encontra-se impossibilitada de dar continuidade ao estabelecido no acordo firmado”, revelou, por nota, a Dix Empreendimentos, que disse ter notificado o Estado sobre o assunto há quase um mês. A empresa ainda teria dado um prazo de 15 dias para o governo solucionar o problema. Mas, como as coisas não mudaram, a Dix saiu do terminal.

Em nota postada no Blog, o governo alegou que “um problema técnico atrasou o cronograma de pagamentos à empresa”. “Estamos encerrando esse contrato, quitando, inclusive, o débito com a antiga operadora”, garantiu o secretário estadual de Transportes, Antônio Júnior, dizendo que, por conta disso, o terminal está sob a administração temporária do DER. O órgão, por sinal, já estava à frente do terminal quando foi realizado um voo experimental da companhia aérea Azul no último dia 12, do Recife para Serra Talhada.

Mesmo com o sucesso desse teste, o governo vai procurar uma nova empresa privada para administrar o terminal. “Em atendimento à Procuradoria Geral do Estado, será realizada nova licitação para contratar a empresa que ficará responsável pela gestão”, confirmou o Estado, dizendo ainda que, mesmo assim, o cronograma de inauguração do aeroporto está mantido. “A medida não muda o planejamento que estabelece o início dos voos comerciais semanais em até 90 dias, previsão de conclusão da exigência feita pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), para instalação de uma cerca de segurança no aeroporto”, comunicou o governo.

Segundo o Ministério dos Transportes, o planejamento operacional seguirá o determinado pelo gestão estadual, já que também será preciso realizar uma licitação para conclusão das obras. Esse processo ainda será aprovado pela Secretaria de Aviação Civil para que a União repasse os recursos necessários às obras, que devem ser concluídas até setembro deste ano. O investimento previsto é de R$ 20 milhões, fruto de um convênio entre os governos Federal e Estadual.

Por sua vez, a Anac informou que aguardará a conclusão das obras para que seja feita uma vistoria. Só se tudo estiver conforme o projeto técnico, o aeroporto será certificado para realização de voos comerciais. A companhia Azul, que tem interesse em realizar a rota Recife/Serra Talhada, disse que “a mudança de gestão no aeroporto não altera os planos da Azul para a cidade”.

1 Comentário

  1. Mizael

    23 de julho de 2018 em 09:04

    Olhe, nunca vi uma coisa difícil como essa…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Mais 500 estudantes são beneficiados pelo projeto ‘Leitura Atuantes’ da 73ª CIPM de Juazeiro

Os policiais da 73ª CIPM, comandada pelo Major PM Eduardo Almeida Cunha, realizaram, no pe…